17 de abr de 2013

Seasons

Os grandes feiticeiros do reino de Xidit reuniram-se no coração da floresta Argos, onde ocorrerá o lendário torneio das 12 Estações. Ao final de três anos, o Grande Mago será escolhido entre os competidores.

Objetivo do jogo:
Acumular o maior número de cristais que converterão em pontos de vitória.




Componentes:
- tabuleiro circular
- tabuleiro de pontuação
- 4 tabuleiros de jogador
- 2 decks com 50 cartas cada
- 20 dados de ação
- 16 cubos de madeira
- diversos tokens
- tabuleiro de regras

O jogo vem uma excelente caixa, com um berço feito especificamente para ele. Pode-se observar o cuidado nos detalhes, desde a separação dos decks (com tamanhos diferentes e que ficam nivelados lado a lado), o encaixe de todas as peças, ainda que assimétricas, e como se seguram para não sair do lugar. Os dados chamam a atenção pelo tamanho e qualidade, além dos itens tradicionais de cartonado de boa qualidade, completando com um manual de regras muito bem ilustrado e explicativo.

A arte de Naïade, nome artístico de Xavier Durin, ilustrador de Isla Dorada e de outro lindinho de Essen’12, Tokaido, é um charme a parte. Lúdico, mágico e com uma combinação de cores que poucos tem, cria cinquenta “telas” que se transformaram nas cartas do jogo.



O Jogo:

A premissa de Seasons é bem interessante e simples, que permitem ao jogador se concentrar na estratégia sem se preocupar com um zilhão de mini-regras impeditivas. Cada jogador representa um mago no torneiro, que ocorrerá em três anos. Para isso, ele recebe nove cartas iniciais, que deverá dividir em três decks. Cada um para o início de um ano do torneiro. Ao longo do jogo, ele pode e deve adquirir novas cartas, pois elas lhe conferem poderes e habilidades especiais. O jogo traz 3 tipos de nível de dificuldade que estão diretamente associados a escolha dessas cartas. Para os iniciantes, utiliza-se apenas o deck básico com os 30 tipos de cartas, e cada jogador recebe uma combinação específica de cartas. Para o nível intermediário, mantem-se os 30 tipos, mas cada jogador recebe nove cartas, das quais deve escolher uma e passar as restantes para o próximo jogador, até que cada um tenha escolhido as 9 para compor sua mão. O nível avançado introduz os 20 tipos de cartas restantes, com poderes avançadas e mantem-se o sistema de construção da mão. Embora simples, isso permite níveis diferentes de estratégia, como em 7 Wonders, em que o jogador não precisa apenas saber que cartas serão melhores para o começo e/ou final do jogo, mas precisa também decidir que carta deve escolher por ser boa para ele, ou melhor ainda para o adversário.

Passada essa preparação inicial, a segunda fase, ou Torneio, é o jogo propriamente dito. O tabuleiro central circular é dividido em quatro cores, as quatro estações do ano, e para cada uma delas, existe um conjunto de dados da mesma cor (número de jogadores mais um), que deverão ser rolados no início de cada rodada e que determinarão as ações de cada jogador.

Cada um escolhe o dado que lhe convier, a partir do jogador inicial, e deve executar as suas ações, que podem ser: ganhar tokens de energia (água, ar, fogo e terra), ganhar cristais (pontos de vitória), aumentar seu nível de invocação (quantas cartas pode ter a sua frente), comprar cartas e transmutar energia em cristais. Além das ações do dado, o jogador pode baixar quantas cartas quiser e puder, sempre respeitando o limite de invocações e pagando seu preço, e ativar as cartas que lhe for conveniente usando seus poderes. O jogador ainda dispões de quatro tipos de ação bônus, que lhe serão descontadas apenas no final do jogo pagando cristais, e que podem auxiliar e muito suas jogadas.  



Dentre todas as opções, o jogador deve se preocupar em transmutar energia ao melhor custo possível, pois elas garantirão boa parte dos pontos de vitória, e, baixar cartas, o máximo que puder. Por quê? Os tokens de energia mudam de valor a cada estação, a água, por exemplo, é muito comum de se encontrar no inverno, mas impossível no outono, o que torna seu preço baixo na primeira e caro na última. Saber aproveitar esses momentos é uma ação fundamental. Além disso, existem cartas que incrementam o valor dessas vendas, use e abuse delas! Quanto as cartas, além dos benefícios que geram, também valem pontos de vitória no final do jogo, representando mais da metade da pontuação final, o que pode gerar um dilema durante o jogo: baixar uma carta muito boa ou apenas baixar muitas cartas? Como penalidade, cartas que ficam na mão custam cinco cristais no final. São questões que cada jogador deve tomar a cada partida.

O avanço do tempo é determinado pelo dado não escolhido pelos jogadores, sempre sobrará um. Eles determinam quanto o contador de tempo deve avançar (de 1 a 3 casas) e girar a roda do tempo. Quando o contador passa um ano, os jogadores devem pegar o próximo deck de três cartas que reservou no início do jogo, e adicioná-lo a sua mão. Ao final dos três anos, o jogo termina imediatamente e veremos quem será o vencedor. 

                    

   ***

O que Dixit, Fábula e Seasons tem em comum? Régis Bonnessée, fundador da Libellud, empresa de jogos francesa, autor de Seasons, e co-autor nos outros títulos. Curioso observar como cada um desses três jogos, apesar de terem sido desenhados por três (excelentes) artistas diferentes, parecem ter uma unidade visual. Esse estilo é dado, sem dúvida, pela mão do dono, pois a Libellud é uma empresa pequena, cuidada de muito perto por Bonnessée, jovem que já mostra grande competência. E, talvez, venha daí a brincadeira entre Dixit e Seasons, pois o segundo tem sua história no reino de Xidit (anagrama de Dixit), e acaba sendo um toque de curiosidade para os fãs desses títulos.

Seasons, por sua vez, é mais complexo que os anteriores, embora ainda seja um jogo leve familiar. Suas ações são calcadas basicamente em duas mecânicas: rolagem de dados e cartas, mas muito bem equilibradas, trazendo um novo ar a esse tipo de jogo. Agrada a vários tipos de público, do iniciante ao mais experiente, a criança e o adulto, o lúdico e o racional. Embora suas cartas possuam texto, o que pode ser uma pequena barreira idiomática, eles são de conteúdo simples e de fácil compreensão. Boa pedida da safra Essen’12, to tipo que agrada aos olhos e ao coração.

Aguardem para este ano ainda, a primeira expansão do jogo, trazendo novos tipos de cartas e tokens.

Informações adicionais:
2 a 4 jogadores
Acima de 14 anos
Tempo médio: 60 min
Valor médio: U$ 35
Publisher: Asmodee, Libellud


 [Resenha publicada originalmente na Ludo Brasil Magazine nº 25]

2 comentários:

  1. Eu gosto mto do Seasons, mas uma coisa q ele ñ tem, é equilíbrio nas cartas...

    ResponderExcluir
  2. Nem tanto assim, Fil. Tem umas cartinhas bem poderosas, mas dá pra montar um deck bem legal. E entra tb o jogador pra fazer valer o jogo, né? ;) bjks

    ResponderExcluir