30 de ago de 2012

Atlantis

Quem já acompanha nossas resenhas desbussoladas sabe que tenho uma queda grande por jogos de arqueologia, exploração, e pelo designer Michael Menzel. Reza a lenda de Platão, que a mitológica ilha de Atlântida era repleta de tesouros e uma cultura evoluída. Seguindo essa premissa, a ilha berço de inúmeras fantasias, livros e filmes, também inspirou jogos, e é o tema de hoje.

Objetivo do jogo:
Acumular o maior número de pontos de vitória com tiles de tesouros e cartas.



Componentes:
84 tiles de tesouros
24 tiles de água
4 pontes
12 meeples
1 tile Atlantis
1 tile terra firme
105 cartas
1 manual de regras

A caixa vem muito bem organizado, com o berço dividido em quatro partes, e cada uma delas com a impressão dos itens que devem ser guardados. 

Os tiles tem excelente espessura e rigidez. Meeples e pontes de madeira como todo bom euro. Cartas com boa impressão. Manual de regras colorido e bem ilustrado, rico em exemplos de jogadas.

O Jogo:
Todos os jogadores encontram-se na ilha de Atlantis, e devem tentar levar todas as pessoas do seu clã (3 meeples) para a terra firme, recolhendo a maior quantidade de tesouros pelo caminho, quanto mais valiosos, melhor.

Depois de montar o “tabuleiro”, que são os tiles de tesouro e água conectando Atlantis à terra firme, os jogadores devem usar suas cartas para se movimentar. O jogo é bem simples. Cada carta equivale a um tipo de tesouro, distintos pela cor e desenho. Jogando uma carta branca, deve mover seu meeple para o próximo tile de tesouro branco, e imediatamente recolher o tile que estiver atrás. Quando um espaço vazio é aberto, coloca-se um tile de água. E assim, nessa luta contra a inundação, você deve seguir direto para a terra firme.

A estratégia entra em alguns momentos:
1) Quando avançar os meeples? Leve em consideração que quem chega primeiro à terra firme passa a ter a vantagem de possuir mais cartas que os outros. Segundo, para atravessar os trechos inundados é preciso pagar um preço em tesouros, sendo assim, evite deixar retardatários.
2) Áreas inundadas. Crie espaços inundados para atrasar seus inimigos. Cada jogador terá uma ponte que pode usar em qualquer momento do jogo, ela permite travessia gratuita. Aproveite as pontes dos adversários, e use a sua no melhor momento possível.

Tendo atenção a esses dois pontos, esmere-se em coletar muitos tesouros e ganhar o jogo.  

Considerações:

O jogo do italiano Leo Colovini é bastante simples, mas que rende uma boa diversão em família. Ideal para se jogar com faixas etárias distintas e iniciar as crianças. As belas ilustrações de Menzel lhe encherão os olhos e a imaginação.

Funciona muito bem com dois jogadores, e torna-se bem competitivo com 4.

Para quem quer conhecer, existem uma versão online para jogar em tempo real. 

REGRAS EM PORTUGUÊS! Traduzimos as regras e você pode baixá-la no site do BGG.

Informações adicionais:
2 a 4 jogadores
Acima de 10 anos
Tempo médio: 45 min
Valor médio: U$24
Publisher: Amigo, Mayfair e outros

Online:

BGG

Ilha

[Publicada na Ludo Brasil Magazine nº 18]

2 comentários:

  1. Bonito jogo, quero experimentar! Não sei por que, jogos com esse tema de fuga da inundação me intrigam. Estou com "Survive: Escape from Atlantis!" encomendado e tenho muita curiosidade de jogar "Forbidden Island".

    ResponderExcluir