2 de jul de 2013

A Conduta nos Jogos de Mesa

“La finesse dans le jeu”

Como aproveitar ao máximo suas experiências ao jogar com amigos ou em eventos!

Por Jacques Du Finn*

Há pelo menos sete mil anos, quando os jogos de tabuleiro surgiram no planeta, adultos se divertem com pecinhas e regras capazes de despertar seu espírito lúdico e desenvolver habilidades diversas[1]. A atividade foi aos poucos desencorajada por uma cultura de trabalho e produção, e assim se manteve por dois séculos. Mas nos últimos anos, a cultura do jogar reacende em todo o planeta, e vêm conquistando um crescente número de adeptos.

Por isso, em algum momento possivelmente alguém sem experiência se deparará com esse tipo de entretenimento, através de um amigo ou um evento. O interessante é perceber que a forma como você se coloca desde que chega ao ambiente onde vai jogar pode definir se você curtirá a experiência ou não. Assim, anote essas dicas, com elas a diversão é garantida!

1) Cheque o perfil da jogatina:
- Se você tem crianças e poderia levá-las, verifique há jogos de família (family games), mesas de jogo destinadas a elas, etc.;
- Caso as pessoas rachem despesas com lanches e outras: voluntarize-se e participe!
- Você é fumante? Descubra onde poderia sair para fumar numa boa. Em raros eventos fechados, como campeonatos de poker, o fumo pode vir a ser permitido em alguma ala.
- Algumas pessoas gostam de levar seus jogos. É bom saber se o evento aceita jogos de participantes. Também é interessante saber explicar as regras dos seus jogos. Para dicas sobre isso clique aqui.
- Pode-se comer durante as partidas? Veja isso, se não for possível faça seu lanchinho antes de jogar (e lave bem as mãos). Se for permitido comer enquanto joga, evite alimentos gordurosos, copos sem tampa próximos do jogo, enfim, tudo o que possa comprometer a integridade dos componentes do jogo.

2) Chegando ao evento e como identificar o melhor jogo para você:
- Busque pelos anfitriões ou coordenadores. Cumprimente as pessoas, seja cortês. Apresente-se quando sentar-se para jogar com pessoas que ainda não conhece.
- Muitos jogos são para falantes de inglês. Se você não domina a língua inglesa escrita, pergunte se o jogo depende de textos em inglês antes de entrar no jogo.
- Antes de aceitar jogar algo, verifique o tempo médio do jogo e se você tem esse tempo.
- Verifique o perfil do jogo: se tem mais sorte ou menos, qual é o tema, etc. Uma vez que você entre na mesa, ficar reclamando do jogo que você mesmo escolheu para jogar é ser estraga-prazeres para os demais que podem estar curtindo. Permita-se viver a experiência, e se não gostou simplesmente não jogue aquele título de novo.
- Se não sabe como vai se sentir ao lado dos companheiros de jogo, não importa o motivo, não jogue ou escolha sentar-se numa mesa que tenha um jogo rápido, assim você pode se familiarizar com as pessoas daquele grupo.

3) Na mesa de jogo:
- Ouça atentamente as explicações das regras, caso não conheça; Faça perguntas a vontade se necessário, esse é o momento;
- Caso todos na mesa sejam inexperientes, e jogando um novo título, é interessante jogarem algumas rodadas de modo aberto, um ajudando na jogada do outro. Pensando juntos, todos aprendem melhor e mais rápido, e isso os leva a uma partida “de verdade” bem mais interessante. Por outro lado, se todos são experientes, menos um que é novato, então é preciso paciência para que ele possa se demorar mais em uma jogada.
- Entender como funciona o jogo é a melhor vitória para um novato. Jogos de mesa são feitos para divertir e cada um pode dar seu melhor, mas quando só a vitória interessa nenhum jogo é gostosamente jogado.
- Quem gosta de seus jogos procura cuidar muito bem deles. Portanto respeite ao máximo esse cuidado, evitando dobrar cartas, estar com mãos sujas (comum em quem come jogando), etc. 
- Jogo começado, vá até o fim. Lembre-se que os outros jogadores dependem de você a partir do momento em que o jogo começa.
- Jamais seja tendencioso, protegendo um jogador em detrimento de outro em função de relações pessoais (não atacar o(a) namorado(a) por exemplo).
- Cada um faz a jogada que bem entender. Não se chateie caso uma jogada te prejudique e/ou beneficie um outro. Não tome uma jogada como uma atitude contra a sua pessoa. As atitudes de jogo são em relação ao jogo, e o jogador faz o que considera ser o melhor para ele;
- Gritar, xingar, acusar, falas preconceituosas e bullying de qualquer espécie… Atitudes INCONCEBÍVEIS.
- Trapacear, ficar dizendo o que um segundo jogador deve fazer (a menos que seja um experiente realmente dando uma dica para um novato e ninguém na mesa se importe com isso);
- Caso passe a vez e só então se lembre de uma ação que tenha esquecido (como repor cartas, por exemplo), pergunte ao grupo se ele permite que você o faça. O erro foi seu, o grupo pode ser tolerante ou não.
- Ao final ajude a guardar o jogo, a menos que seu dono peça que deixe tudo como está (alguns donos de jogos tem critérios próprios de arrumação e preferem eles mesmos irem guardando em acordo com isso). 

4) Após a jogatina
- Não deixe de agradecer a todos pela oportunidade, cumprimentando os parceiros de mesa e o(s) anfitrião(ões);
- Se você sair antes da jogatina acabar, pergunte se há algo que possa seja feito para ajudar (por exemplo lavar seu próprio copo ou jogar fora os materiais descartáveis usados – copos, guardanapos);
- Se você sai no fim da jogatina, veja com o(s) anfitrião(ões) se precisa(m) de ajuda na arrumação do espaço.
- Caso tenha intenção de participar mais vezes, pergunte na despedida se há algo que você possa fazer ou levar na próxima jogatina.
- Se sentir vontade de levar mais alguém na próxima vez e não se trate de um evento aberto, pergunte ao grupo ou ao(s) anfitrião(ões) se tudo bem. 
Essas são regras de conduta explícitas. Verifique as regras implícitas do grupo, alinhando-se aos costumes locais.
*   *   *

* Jacques do Finn é o FairPlayer mais conhecido da França.

Links complementares desejáveis:
Para você qual é o pior tipo de jogador?:
Isso não se faz! [má conduta na mesa de jogo]:




[1] Desde avaliar a capacidade administrativa de um rei (Mancala) a simular os poderes de um exército adversário (jogos de guerra diversos), passando pelo simples exercício mental por si só, os jogos de tabuleiro sempre foram uma atividade comum a mentalidade adulta, ficando a brincadeira e o brinquedo como atividade típica da criança.

Um comentário: