13 de out de 2018

Euro raiz: CONCORDIA


por Fabrício Mello , cronista-raiz convidado


"Hoje eu me considero um eurogamer plenamente convertido", disse para Renata ao fim da nossa primeira partida depois de dois anos sem jogar juntos. Ela suspirou e sorriu satisfeita como quem diz: Mais um que enxerga a luz! 

Mas não é qualquer euro não, avisei.Aqueles euros pesadões, com doze mecanismos diferentes, estou fora. Eu gosto de euro assim, gesticulei para o tabuleiro salpicado de pecinhas de madeira,aprende-se em dez minutos, joga-se em noventa e satisfaz intelectualmente. 

Vitor, o terceiro jogador à mesa, disse: Sei, você gosta de euro raiz.” Vitor é sempre econômico e certeiro nas palavras.


Tabuleiro de 3 a 5 jogadores com o Mediterrâneo. No verso, o tabuleiro traz a Itália, de 2 a 4 jogadores.


Dinheiro, recursos e colonos reservas numa área limitada.
Havíamos acabado de estrear Concordia e a aprovação era unânime. Provavelmente os leitores deste blog conhecem esse jogo de 2013 de Mac Gerdts, que no ano seguinte foi um dos três nomeados para o prêmio Kennerspiel des Jahres (perdeu para Istanbul). Para quem não teve o prazer de experimentar, é um jogo de colonização de cidades mediterrâneas na época do Império Romano. Cada jogador começa com dois colonos em Roma, um terrestre, outro marítimo, algum dinheiro, algumas mercadorias, e sete cartas na mão. Cada carta representa um personagem da época, tal como um senador ou um tribuno. No seu turno, o jogador simplesmente joga uma carta da sua mão e executa a ação associada ao personagem. Por exemplo, a carta do arquiteto permite movimentar os colonos no tabuleiro e construir colônias, que é a ação mais importante, pois a maior parte da pontuação final vem das colônias. Elas são construídas em cidades preexistentes no mapa. As cidades produzem, cada uma, um dos cinco produtos que existem no mundo de Concordia. Esses produtos são usados para construir novas colônias.

A partir de Roma, os colonos (barcos e meeples) partem para conquistar as cidades

Cartas de ação do jogo, e com o deus que pontuará no final.
Ao longo da partida, os jogadores podem comprar novas cartas que vão sendo abertas de um baralho comum e ficam oferecidas a todos. Essas cartas ampliam o leque de ações que os jogadores podem realizar. No entanto, as cartas em Concordia têm uma função dupla. Cada carta é dedicada a um de seis deuses romanos. No final do jogo, cada deus dará pontos segundo um critério particular. Por exemplo, Júpiter dá um ponto de vitória para cada colônia construída pelo jogador, exceto aquelas em cidades produtoras de tijolos. Só que o jogador ganha esses pontos para cada carta dedicada a Júpiter que ele possuir no final do jogo. Assim, além de comandarem ações durante o jogo, as cartas bem colecionadas direcionam a estratégia maior do jogador. Essa dupla função das cartas é o aspecto mais brilhante do design de Concordia.

O jogo é a quintessência do euro raiz. As regras cabem em quatro páginas, com exemplos e ilustrações. Há pouca aleatoriedade e ela não é determinante. A partida flui e se resolve em pouco tempo. Cada turno oferece decisões interessantes. E ao final, ganhando ou perdendo, você compreendeu um pouco mais o jogo. Você sabe onde errou e sabe que vai jogar melhor na próxima vez. Justamente por isso você quer jogar de novo. Essa inexorável aquisição de competência (que é o exato oposto da frustração) é o distintivo do euro raiz, mais do que meeples e casinhas de madeira. Nisso, o euro raiz se aproxima dos clássicos abstratos, como Go ou Xadrez.
Os cinco tipos de cidade e recursos que produzem.

Concordia é também euro raiz ao nos proporcionar competição sem animosidade. A disputa é intensa e alguns turnos são angustiantes; mas é um jogo pacífico, fiel ao nome. As oportunidades de bloqueio absoluto de alguém inexistem, assim como ataques diretos ou destruição daquilo que se construiu. É um jogo de abundância, de movimento, de expansão, de ordem lógica, de pura clareza mediterrânea.

Se no aprendizado constante o euro raiz me atraiu, na promoção da amizade competitiva ele me conquistou. Muitos jogos de tabuleiro são mal-disfarçados veículos para catarse de agressão e sadismo, às vezes por parte do próprio designer. Com os meus poucos e bissextos amigos, prefiro que o tempo tenha qualidade monástica e que o som de fundo seja riso, engrenagens cerebrais e Miles Davis. Obrigado por lerem!

Fabrício (à esq), Renata e Vitor, todos felizes após uma cordial partida raiz. 


Informações técnicas:
Jogo: Concordia
Autor: Mac Gerdts
Editoras: Cranio Creations, Rio Grande Games, Ystari Games (entre outras)
Nº de jogadores: 2 a 5
Idade: +13
Duração: 1h 40min

Expansão: 
Concordia: Salsa
Traz dois novos mapas, novo produto (sal) e mais cartas de ação.

22 de ago de 2018

I Simpósio Fluminense de Jogos e Educação


"São muitos os caminhos que levam ao aprendizado e à educação, e os jogos de tabuleiro (ou “boardgames”, como alguns entusiastas preferem) têm se mostrado uma ferramenta de enorme atrativo para professores e alunos. Em virtude disso, a Oga Mitá terá o privilégio de ser a primeira escola a sediar esse Simpósio, que terá o objetivo de promover o diálogo entre práticas e saberes para enfrentarmos, juntos, os novos desafios à educação nas próximas décadas." (site da escola Oga Mitá)

Uma iniciativa dos organizadores do Jogamitá, o I Simpósio Fluminense de Jogos e Educação vem corroborar as ações de comemoração dos 40 anos da escola, inovadora e importante no Rio de Janeiro.

Estarei na Palestra II às 13h. A inscrição é gratuita e as vagas são limitadas.

Em paralelo ao simpósio, estará acontecendo o 11º Jogamitá, ou seja, uma ótima oportunidade de aprender e se divertir no mesmo lugar ;)


  PROGRAMAÇÃO                                                                                                                                

  MANHà 

08:30 | Chegada e Credenciamento

09:00 | Abertura - Jogos e Pedagogia - Prof. Aristeo Leite Filho - Diretor Oga Mitá

09:45 | Palestra I - O Jogo como Dispositivo Cultural - Luciano Bastos

10:35 | Mesa Redonda I - Impactos sociais na utilização de Jogos (família, eventos, escola) - Allan Mello, Ian de Souza, Luis Guilherme | Mediador Pedro Vitiello


12:00 | Almoço


  TARDE  

13:00 | Palestra II - Cineducando - o lúdico no ensino do cinema- Renata Palheiros

13:50 | Palestra III - RPG em Sala de Aula - Maurício Pedroso

14:40 | Mesa Redonda II - Diálogos entre teoria e prática na utilização de Jogos - Cecília Schubsky, Jorge Valpassos | Mediador Luciano Bastos

16:00 | Palestra IV - Hume e Kant: Uma base metodológica para compreender a paralisia de análise nos jogos competitivos - Max de Carvalho

16:45 | Encerramento - Pedro Vitiello (término 17:00)


  ATIVIDADE PARALELA  

11º Jogamitá - mesas de jogos livres e stands de produtos, ao longo do evento.                                     

                                                                                                                                                                   
                                                                                                                                 
  Serviço:   

Escola Oga Mitá - Unidade Alto Bonfim
Rua Conde de Bonfim, 1.305 – Tijuca
Dia 1º de setembro Sábado
Das 9 às 17 horas

                                                                                                                                                                   


19 de ago de 2018

Essen 2018: Hora de começar a lista

Faltando 2 meses pra feira mais esperada do ano, está na hora de começarmos a preparar nossas listas de "MAS EU QUERO AGORA", ou "QUERO MUITO", ou "QUERO, mas nem tanto", ou "WTF Is That?"

A principal novidade da feira este ano fica a cargo de mais destaque aos jogos de RPG e fantasia, que vão estar em dois halls. Além do incentivo aos cosplays, a galera fantasiada ainda pode entrar de graça no domingo, viva o cosplay!  

Na relação de jogos, uma safra interessante, com muitos, mas muitos novos autores. E o que é mais interessante ainda, muitas autorAs, isso mesmo, estamos começando a dar as caras nesse hobby, e não apenas jogando, mas assinando os títulos. Outra tendência é um maior número de jogos variando a partir de 1 jogador. Então, divirtam-se! E pra começar a sentir o clima, fiquem com o trailer da exposição:





Mas vamos ao que nos interessa, jogos! Essa relação foi baseada na lista de prévias do BGG que você pode encontrar (aqui).  A classificação é baseada totalmente em gostos pessoais, então, fique a vontade pra discordar, acrescentar novas dicas, concordar ou apenas comentar :) O link para a página dos jogos no BGG está no título do jogo.

ATUALIZAÇÃO: Conforme novas informações foram saindo, atualizamos as descrições e avaliações dos jogos da lista ;)

      QUERO!                                                                                                                                            

FERTILITY

Pra quem se lembra dos jogos para computador Pharaoh e Zeus, vai entender minha emoção quando pus os olhos sobre Fertility! Sim, vamos desenvolver, produzir e agradar aos deuses, num jogo de tile placement e set colection! <3

ATUALIZAÇÃO: Regras extremamente simples para que o jogador se preocupe com o que realmente importa. Basicamente, deverá alocar um tile de terreno no tabuleiro, e como ele conversará com os demais tiles já existentes é que irá trazer benefícios para o jogador. A compra de terrenos próprios é fundamental para evoluir sua cidade e pontuar no jogo.

Ficha técnica:
autor: Cyrille Leroy
2 a 4 jogadores
25-45 min
+ 10 anos
editora: Catch up Games





PAPUA 

Vamos explorar papua Nova Guiné!!! Workplacement! Não falo mais nada. Rsss

Ficha técnica:
autor: Javier Garcia, Diego Ibañez
2 a 4 jogadores
90 min
+ 12 anos
editora: Devir









CEYLON

Adoradores de chá, se joga comigo pro Ceilão! \o/ Se eu já não precisava de desculpas pra beber chá antes, imagina agora!

Ficha técnica:
autor: Chris Zinsli, Suzanne Zinsli
2 a 4 jogadores
60 min
+ 10 anos
editora: Ludonova



EX-LIBRIS

Eu ouvi livro? Um ex-libris é uma marca que identifica uma coleção, neste caso, devemos deixar nossos "ex-libris" no maior número de exemplares raros possível para vencer a competição. Worker placement com set collection <3 O jogo já estreia laureado com prêmios, e já pode ser adquirido.
Destaque para a possibilidade de jogar solo.

ATUALIZAÇÃO: Em Ex-libris, a seleção e colocação das cartas são a alma do jogo. Cada carta representa uma seção da estante da sua biblioteca, e é fundamental o posicionamento das cartas que devem respeitar a ordem alfabética, mas também um pequeno quebra-cabeças que elas vão se formando, para não correr o risco de perder pontos importantes. Entremeado a isso, os mepples cumprem funções em cartas especiais que irão lhe dar benefícios ao longo da partida. Um jogo que se mostra mais intrincado do que parecia a princípio, com um set collection diferenciado.

Ficha técnica:
autor: Adam P. McIver
1 a 4 jogadores
60 min
+ 12 anos
editora: Renegade



     SEGUNDA EDIÇÃO                                                                                                                         


Se você chegou a este blog, você deve ter percebido porque este jogo está aqui... Esta é a segunda edição do Endeavor, revisitada, com nova arte e algumas diferenças no jogo:
- tabuleiro dupla face para acomodar diferentes contagens de jogadores
- configuração de partida variável com novos edifícios
- explorações para melhorar os mecanismos e a história das diferentes regiões
- design atualizado pelo artista original Josh Cappel


Por que fazem isso com a gente? Aiai. Pra quem não sabe, existe uma trilogia de jogos chamada Máscara, que compreende Java, Mexica e Tikal, dos autores Michael Kiesling, Wolfgang Kramer. Por muito tempo os dois primeiros ficaram out of print, e a maioria dos jogadores só tinha acesso ao Tikal e Tikal II (que não entra na trilogia, é uma continuação do Tikal, mas além do tema, não tem nada a ver com o primeiro, mas eu adoro). Há poucos anos relançaram Mexica e Tikal repaginados, e faltava o Java para completar a trupe. Pois não falta mais. Está ai, a segunda edição do jogo, que para ser tematicamente coerente, teve seu nome alterado para Cuzco. Embora as novas edições sejam ótimas, sinto muita falta das capas originais que deram nome à trilogia.


PÁÁÁÁÁÁRA! Colocar a Audrey Hepburn na capa é jogo sujo, muito sujo!!!! BAIXARIA! AFF! [Essa edição traz filmes da Era de Ouro do cinema.]





DIXIT TA FAZENDO ANIVERSARIO E QUEM GANHA O PRESENTE É VOCÊ! #sqn 

Mas tem edição especial de 10 anos com mais cartinhas.









     PARTY GAME                                                                                                                                  


muito interessante, é um jogo de polícia e ladrão em tempo real, onde os jogadores, cientes de seus papéis, seja bandido ou mocinho, acrescentam tiles ao mesmo tempo, construindo o mapa da cidade e alocando peças seja para prender o bandido ou para fugir da polícia. Deve ser uma loucura divertida!

Ficha técnica:
autor: Dave Neale, Antony Proietti
2 a 4 jogadores
5-15 min
+ 8 anos
editora: Boards&Dice


é outro jogo que me deixou acelerada, rsss. Me despertou a mesma pegada de saudosismo do Fertility, mas neste caso, os jogos de cozinha, como Diner Dash com uma pitada de programas de culinária à la Máster Chef. Coopetativo, com ampuletas cronometrando as ações, os chefs vão ter que rebolar! Foi lançado no ano passado, mas tem duas expansões chegando este ano em Essen.

Ficha técnica:
autor: Vangelis Bagiartakis, Dávid Turczi
1 a 4 jogadores
30-45 min
+ 12 anos
editora: Artipia Games




mais um jogo pra nos deixar com fome! Já estou! Cardgame.

Ficha técnica:
autor: Israel Cendrero, Sheila Santos
2 a 5 jogadores
15-30 min
+ 8 anos
editora: Ediciones Primigenio








   TEMAS REVISITADOS                                                                                                                     

Majolica  Pode ser que venha na onda do Azul. Ainda tem pouca informação.

Ficha técnica:
autor: Yu Wang
2 a 5 jogadores
40 min
+ 10 anos
editora: Blue Magpie Games





Pulp Detective  

O velho jogo de detetive, numa roupagem “pulp fiction magazine”, que vigorou dos anos 1900 à década de 1950. Pra quem curte o tema, este site armazena um material muito interessante: https://www.pulpmags.org/

Ficha técnica:
autor: Todd Sanders
1 a 2 jogadores
20-30 min
+ 14 anos
editora: AVStudioGames





Circus  

Não sabia se listava esse ou não, mas achei a descrição ousada: “Circus é um jogo possivelmente sobre circo”. Ok. Aguardemos. Lembrando que o máster supremo do tema é o Drum Roll.

Ficha técnica:
autor: Sandra Santiago
2 a 4 jogadores
45 min
+ 10 anos
editora: Ediciones Primigenio



Revisitando o tema de navegações, com controle de área e pick and delivery. Já vimos muitos por aí, mas quem sabe surpreende.

Ficha técnica:
autor: não creditado
2 a 4 jogadores
30-45 min
+ 8 anos
editora: EmperorS4







    É DECK BUILDING MAS É LEGAL                                                                                              

Newton Essa é de longe uma das mecânicas que menos gosto, mas esse jogo parece muito promissor e reina sozinho, claro, na categoria. rsss.

Em Newton, os jogadores assumem o papel de um jovem cientista para se tornar um dos grandes gênios desse período. Para fazer isso, eles viajam pela Europa, visitam universidades e cidades, estudam para descobrir novas teorias, construir novas ferramentas e trabalham para ganhar dinheiro.

Ficha técnica:
autor: Simone Luciani, Nestore Mangone
2 a 4 jogadores
60-120 min
+ 12 anos
editora: Cranio Creations


   AUTORES RENOMADOS                                                                                                                 


Knizia é sempre uma incógnita. Então, vamos pensar positivo. Controle de área com set collection no qual os jogadores gerenciam um grupo de colonos que se espalham pelas ilhas de um arquipélago recentemente descoberto. 

Ficha técnica:
autor: Reiner Knizia
2 a 4 jogadores
30-45 min
+ 8 anos
editora: Blue Orange




Uwe Rosenberg. Tenho que admitir que rola uma decepção sempre que vejo o nome do UR. E sei também que vou ser linchada por muitos que estão lendo. Mas a minha decepção vem do fato dele criar jogos que tematicamente me atraem, mas que não me agradam na sua jogabilidade. Definitivamente meu santo lúdico não bate com o dele, fazer o quê. #odeioAgricola_prontofalei
Ainda tem pouca informação sobre o jogo, mas vai sair pela Galápagos também.

Ficha técnica:
autor: Uwe Rosenberg
1 a 4 jogadores
30-60 min
editora: Frosted Games


Feldianos, por favor, me expliquem, titio Feld ta ficando sem assunto? (esperando as pedras em 3, 2, 1...) Só vou perdoar porque a arte é do Menzel <3.

Ficha técnica:
autor: Stefan Feld
2 a 4 jogadores
60-120 min
+12 anos
editora: Huch!





Do mesmo autor de Tournay e Troyes, Sébastien Dujardin, mas completamente diverso dos anteriores. Um jogo leve e bonito de exploração.

Ficha técnica:
autor: Sébastien Dujardin
1 a 4 jogadores
30-45 min
+10 anos
editora: Pearl Games




    PESADOS                                                                                                                                            

Os jogadores representam os cérebros mais poderosos do mundo, cérebros nomeados devido à superpopulação da Terra para estabelecer as melhores e mais habitáveis áreas subaquáticas possíveis.

Ficha técnica:
autor: Vladimír Suchý
1 a 4 jogadores
80-150 min
+12 anos
editora: Delicious Games

Expedition Zetta  Já digo que não manjo do assunto, coloquei na lista em homenagem ao Zavandor. :)

Cada jogador representa um país em uma viagem inaugural da primeira nave espacial para usar uma unidade de urdidura recém-desenvolvida. O objetivo é enfrentar o desconhecido e coletar descobertas em quatro diferentes sistemas estelares. 

Ficha técnica:
autor: Jon Manker
1 a 5 jogadores
30-180 min
+10 anos
editora: Ion Game Design


Por gerações, as férteis Hiddenlands foram compartilhadas pelos povos dos Cinco Reinos. Os Elfos, Magos, Anões, Halflings e Humanos viviam pacificamente uns com os outros, apesar de se envolverem cada vez mais em feroz competição pela prosperidade e glória de suas respectivas nações.

Ficha técnica:
autor: Jeffrey D. Allers, Bernd Eisenstein
2 a 4 jogadores
90-120 min
+10 anos
editora: Irongames


Cada jogador comanda uma força de dados-trabalhadores, que cresce em potência a cada movimento. No seu turno, você move um trabalhador em torno de uma prancha modular, sempre escolhendo uma das duas áreas do local onde você pousou: uma oferecendo uma ação (e uma atualização de trabalho), a outra oferecendo um bônus poderoso (mas sem um upgrade).

Ficha técnica:
autor: Daniele Tascini, Dávid Turczi
1 a 4 jogadores
90-120 min
+12 anos
editora: NSKN Games

   INTERRESSANTES                                                                                                                            


A4 Quest é um jogo de aventura de uma pessoa, no qual você enfrentará incontáveis monstros enquanto passa por locais consecutivos. Interessante porque rompe as barreiras físicas, o jogador pode baixar e imprimir o “tabuleiro” da vez, numa folha A4, por isso o nome do jogo.

Ficha técnica:
autor: Michał Jagodziński, Paweł Niziołek, Jarosław Wajs
1 jogador
5-15 min
+8 anos
editora: Board&Dice






Uma grata oportunidade de conhecer os jogos asiáticos! Realm Sand, com uma arte muito bonita, e fantástica, ilustra esse jogo de quebra-cabeças abstratos. A EmperorS4, empresa de Taiwan, está chegando com tudo em Essen neste ano. Fiquem de olho!

Ficha técnica:
autor: Ji Hua Wei
1 a 4 jogadores
30-60 min
+10 anos
editora: EmperorS4






Tem deckbulding... mas tem workplacement e set collection, e é de civilização. Já estou de olho! Vendo o material, o tabuleiro assusta com a quantidade de opções de jogadas, mas o tempo de jogo é médio, com até 90 min, e tem versão solo.

ATUALIZAÇÃO: A mecânica de administração de cartas é a força motriz do jogo. O jogo se vale de seu uso de forma bem interessante, onde cada área do tabuleiro é regida por uma carta (de valor de 1 a 9), que deverá ser conquistada pelo jogador para realizar as ações específicas que acontecem naquela área do jogo. Ou seja, o seu baralho será reconstruído a cada jogada, devendo sempre pensar nas jogadas que executará na rodada seguinte. Essas áreas funcionam como várias opções de ações que seus mepples (de formas diversas, indo de cubos a cavalos) realizarão ações que converterão em pontos de vitória e/ou benefícios, como em Village, por exemplo. Muito interessante, daqueles jogos em que se quebra a cabeça no início com a quantidade de ações possíveis, mas que promete uma curva interessante de aprendizado e aprofundamento conforme evoluem as partidas.

Ficha técnica:
autor: Andreas Steding
1 a 5 jogadores
60-90 min
+12 anos
editora: Game Brewer



Estamos de olho O.O Jogo de exploração e sobrevivência espacial. O Artemis Project é um jogo de colocação de dados e confronto direto contra outros jogadores pela sobrevivência.

Ficha técnica:
autor: Daryl Chow, Daniel Rocchi
2 a 4 jogadores
60-75 min
+13 anos
editora: Grand Gamers Guild







Tile placement bonitinho

Ficha técnica:
autor: Pavel Atamanchuk
2 a 4 jogadores
30-45 min
+8 anos
editora: Hobby World









Inspirado nas grandes corridas aéreas do início do século XX.

Ficha técnica:
autor: Matthew Comben, Richard Denning
2 a 6 jogadores
60-150 min
+12 anos
editora: Board Game Box




   ABSTRATO                                                                                                                                          


Não achei nada inovador, apesar dos componentes darem um visual lindo à mesa. Mas pra galera que curte os abstratos, fica a dica. Embora eu ache que ele seja um eurozinho disfarçado ;)

Ficha técnica:
autor: Magdalena Śliwińska
2 a 5 jogadores
20-30 min
+8 anos
editora: Games Factory




É uma festa portuguesa com certeza! Vamos jogar tétris e promover a festa mais animada!

Ficha técnica:
autor: Nuno Bizarro Sentieiro, Paulo Soledade
1 a 4 jogadores
30 min
+8 anos
editora: MEBO Games




 FICAR DE OLHO, MAS AINDA TEM POUCA INFORMAÇÃO / TALVEZ SEJA INTERESSANTE, NÃO SEI                                                                                                                  


Ficha técnica:
autor: Emiliano "Wentu" Venturini
2 a 4 jogadores
30 min
+10 anos
editora: Cranio Creations







Não sei se me atrai como jogo, mas chama a atenção pelo conteúdo didático de consciência do planeta como um ecossistema único.

Ficha técnica:
autor: Urtis Šulinskas
2 a 4 jogadores
30-45 min
+8 anos
editora: Blue Orange




Tem uma mecânica de desenho ao longo do jogo que pode ser interessante, mas não fica clara. 

Ficha técnica:
autor: Corentin Lebrat, Ludovic Maublanc
2 a 4 jogadores
20 min
+6 anos
editora: Blue Orange




Silk  

O Silk é um jogo de entrada em sistemas de controle de área e colocação de trabalhadores. Os jogadores têm que mover seus bichos-da-seda para os espaços ideais para que possam se alimentar da melhor grama disponível, enquanto empurram as peças dos outros jogadores para áreas de alimentação menos desejáveis. Pouca informação ainda.

Ficha técnica:
autor: Luis Ranedo
2 a 4 jogadores
45 min
+10 anos
editora: Devir




   VERGONHA ALHEIA                                                                                                                       
Parem! Só parem, por favor, que está feio. Sem mais.


 #revirandoolhinhos















 E não fiquem colocando meus temas favoritos só pra gente querer comprar! Mercenários! Humpft!