17 de out de 2011

Dando uma "voltinha" pelo Spaghetti

Por Luciana Azevedo


 Nesta quinta-feira passada o Spaghetti das Peças começou debaixo de uma fina chuva que insistia em cair na cidade, assim como hoje, desmotivando cariocas, fluminenses e agregados a saírem de casa. Mas esta que vos fala (escreve) não se abalou com isso e saiu do trabalho rumo a saciar seu doce recente vício, os jogos. Lá, percebi que outros também não se abalaram. 


HORUS HERESY
2 jogadores / +13 / 135 min

 "Horus Heresy é um jogo de tabuleiro que coloca dois jogadores um contra o outro para recriar a batalha mais famosa da rica história do Warhammer 40.000, na qual a traição do Warmaster Horus ao Imperador chega ao seu clímax. Os jogadores controlam um espantoso conjunto de unidades, incluindo o próprio Imperador e Horus. Irmão contra irmão, o universo está em jogo!"

Logo que cheguei encontrei nossos colegas de quinta passada jogando o mesmo lindo jogo, Horus Heresy. E desta vez, me parece, que chegaram mais cedo e saíram mais tarde, pelo que foi apurado eles fizeram duas partidas e volto a dizer, que jogo lindo! Ainda mais para estes olhinhos aqui que vivem imersos num mar de cubos! 

Dupla dinâmica, sempre no Horus.
 


LUNA
1 a 4 jogadores / +12 / 90 min

" "Luna" é o nome da Sacerdotisa da Lua, e perante seus próprios olhos, cada uma das quatro Ordens competem pelo direito de decidir sobre seu sucessor. Os jogadores são os líderes das Ordens que tentam convencer a Sacerdotisa. Ao longo de seis rodadas, eles precisam recolher o máximo de pontos de influência, usando seus noviços para alcançar este objetivo."


  

Também estavam presentes Filipe, Leandro, Thais e Eduardo Felipe. Enquanto selecionávamos um bom jogo para cinco pessoas, meu futuro carrasco Bouzada chegou. Duas mesas foram criadas: Dominant Species com o corajoso grupo Bouzada, Thais, eu e Peter. Peter não teve nem escolha, chegou atrasado e foi abduzido para a luta entre diferentes espécies animais numa terra a margem da grande era glacial! 

Na segunda mesa, os demais desbravadores jogavam-se ao mar em busca de construir e trabalhar nos novos templos e recrutar noviços a fim de ganhar o favor dos sacerdotes locais. Venceria aquele que obtivesse mais pontos de influência com a Sacerdotisa: Luna.
O jogo terminou com a vitória de Filipe que de forma estreita e apertada conseguiu vencer acumulando mais pontos de influência!

 TALUVA
2 a 4 jogadores / +10 / 40 min 

"Jogo tático de colocação de tiles em uma ilha do pacífico. Jogadores expandem suas vilas, criam templos e fazem a ilha crescer para os lados e para cima."

Mais tarde outro Eduardo iniciava uma mesa de Taluva juntamente com Caio e Fábio. Jogo que andava sumido das mesas deste evento, mas que timidamente tem voltado a encantar os gostos por aqui. Ainda puxaram duas partidas. Distribuindo uma vitória para Caio e outra para Edu. Não foi desta vez Fábio!

Edu (verde) comandando a mesa do Taluva.

  
Taluva havia acabado e puxaram outro jogo, Caylus, que não pode ser registrado, porque esta blogueira por um dia estava desesperada tentando perpetuar seu espécime por entre as adversidades de um mundo selvagem que vai ficando cada vez mais apertado com a presença e a dominância cada vez maior de seus adversários e colaboradores da cadeia alimentar. (ufa!) Caylus acabou com outra vitória de Edu.


AUTOMOBILE
3 a 5 jogadores / +12 / 120 min

"Construa carros de todos os tipos num dos melhores jogos econômicos de Martin Wallace."


Eduardo foi embora e Lep assumiu seu lugar no próximo jogo que puxaram, agora um jogo desconhecido para esta aspirante a blogueira que vos fala, o Automobile. Um jogo que chamou a minha atenção pela mecânica econômica, os desafios de criar sua fábrica, fabricar carros populares ou de luxo e ainda investir em carros que você espera que tenham boa demanda no futuro. Mas, se isso não acontecer, os empréstimos são possíveis e necessários neste jogo! Aliás, a presença de empréstimos é praticamente a marca registrada do autor Martin Wallace e sinal da presença de muita dificuldade financeira durante o jogo. Tamanha foi a crise econômica que Lep perdeu grande parte do seu capital inicial começado a partida com $2.000 e terminando com míseros $970. Leandro terminou com excelentes $3.200, mas Filipe conseguiu a imbatível quantia de $3.600.

Lep, Leandro e Filipe no Automobile.

DOMINANT SPECIES
2 a 6 jogadores /+12 / 180 min

"90.000 aC - Uma grande idade do gelo se aproxima rapidamente. Outra luta titânica pela supremacia global inconscientemente começou entre as espécies animais diferentes.
Dominant Species é um jogo que recria abstratamente uma pequena parte da história antiga: a invasão pesada de uma idade do gelo e o que isso implica para as criaturas que vivem tentando se adaptar à terra lentamente mudando. "


Em Dominant Species tivemos a presença de quatro classes diferentes de animais: Bouzada representando os mamíferos, eu representava os répteis, Thais as aves e Peter lutava como anfíbio. No inicio da partida todos começam numa situação de equilíbrio apesar de suas diferenças evolutivas. O jogo apresenta uma mecânica bem costurada com sua temática, porém, sua representação através dos grandes e velhos cubos tornam a partida bem abstrata. E enquanto vamos dominando a terra, ou seja, invadindo os tiles com nossos cubos, o gelo vai tomando conta do tabuleiro, ou seja, tiles de tundra são colocados sobre tiles que representam diferentes tipos de vegetação e geologia. Nossas doces criaturas vão sendo afetadas pela migração, especiação, ações de adaptação entre outros efeitos causados por cartas escolhidas por cada jogador. O objetivo é conseguir ao longo de inúmeras rodadas acumular mais pontos para o espécime representado.

Thais, Bouzada e Peter no Dominant Species.
A ocupação dos territórios se assemelha ao controle de área de El Grande. Dominant Species é um grande jogo, mas poderia durar menos tempo. Acredito que um bom jogo precisa deixar no final da partida aquela vontadezinha de jogá-lo novamente, o que Dominant deixaria se fosse encerrado em duas horas de jogo, pois na sua terceira hora ele começa a ser desgastante. Tem também um setup chatinho de verificação das dominâncias de cada tile a cada mudança no tabuleiro e recordem-se o jogo se baseia em mudanças no tabuleiro, logo... Salve Bouzada que o fazia com destreza e rapidez!

Detalhes do tabuleiro.

Todas as outras mesas já haviam acabado e a nossa infelizmente ganhou platéia. Digo infelizmente porque minha posição no tabuleiro tornava-se cada vez mais vexatória. Nunca antes na minha história em tabuleiros perdi com uma margem tão grande. E como sei que os meus caros amigos, só estão lendo este post até agora porque esperam que eu diga, ai vai: levei uma volta do Bouzada na pontuação! Não que minha espécie tivesse sido extinta, não foi, mas nesta partida os répteis foram superiores apenas sobre as aves. E estas, ou seja, os cubos verdes, tornaram-se uma inteligência artificial, porque sua representante Thais teve que se ausentar. Perdemos dos anfíbios (Peter) que conseguiram dominar uma quantidade louvável de territórios. Mas, a vitória ficou mesmo para os mamíferos (Bouzada) que além de dominarem a maioria dos territórios, conseguiram presença nas mais 'ermas' condições geográficas. Venceu o mais adaptável! Eu não perdi apenas o jogo, perdi a moral e o meu apelido já em 'desuso' de the legend deu lugar para voltinha!

A nossa querida Rê Palheiros não pode estar presente nesta quinta-feira e por isso eu, a voltinha, fui repórter por um dia do Desbussolados...


[N.E.: Parabéns, Lu, e espero que não seja apenas por um dia, e volte mais vezes à função de repórter, já que está muito mais presente do que eu nas jogas.]

3 comentários:

  1. Mandou bem voltinha! Fiel aos acontecimentos! rsssss

    Abs,
    Peter

    ResponderExcluir
  2. Só para deixar claro o titulo do post era: Reporter por um dia no Spaghetti...

    Mesmo eu me entregando de livre e espontanea vontade... mas a minha amiga prefere perder a amiga a perder a piada e a audiencia, é claro!

    Parabéns Peter-Anfibio, foram horas de evolução... rsss...

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. mas Lu, aí nos acusariam de plágio do Fantástico. Pra que copiar se podemos enaltecer nossa exclusividade? Só aqui temos a voltinha ;)

    ResponderExcluir