28 de ago de 2012

2º Arariboard

É isso aí, conseguimos cumprir nosso juramento, e retornamos firmes e fortes nessa semana, com o grupo crescendo e acolhendo mais e mais jogadores!

Domingo, estiveram presentes, além de mim, Fabrício, Cláudia, Carlos, Graça e Michael, recém chegado de São Paulo, seja bem-vindo! Como a mesa estava cheia, mudamos um pouco nossa programação e embarcamos em dois jogos trazidos pelo Carlos (salvando a noite!).

SHADOWS OVER CAMELOT
3 a 7 jogadores /+10 / 90 min

"As forças do mal estão se reunindo em torno de Camelot. O Cavaleiro Negro foi avistado sobre um cume desolado, Morgana tramando sua vingança, as tropas saxãs estão em movimento...A armadura de Lancelot desapareceu, e Excalibur ainda não foi recuperada. Estes são tempos negros​​, de fato. Você, jovem escudeiro, venha e jure lealdade a seus colegas cavaleiros da Távola Redonda "Em seu coração de intenção pura e prontos a sacrificar para o bem de todos"."

Com um grupo grande, aproveitamos para jogar Shadows over Camelot. Metade do grupo era a favor do cooperativo, a outra metade, mais ou menos. Mas, como um grupo de camaradas que somos, sempre abertos a conhecer, logo começamos o jogo. De cara, Fabrício começou a apresentar os já famosos sintomas de "Miniaturis Agudis Precisus" e, para desespero de sua carteira, incluindo mais um item a sua wishlist. Realmente o jogo tem um cuidado e preparo visual muito bom, característica da Days of Wonder (thanks Jesse!).

iniciando os trabalhos
Fabrício e Cláudia
A primeira discussão do jogo era saber se usaríamos o traidor ou não. A esperta aqui, que tinha se esquecido de quanto o jogo pode ser sacana por si só, ficou botando pilha "não, vamos com traidor, senão não tem graça!". Dez minutos depois, eu já dizia o contrário: "tirem o traidor!!! Jogo maldito!", e coisas do gênero. (>.<") Mas quem realmente não gostou nada de ter um traidor no jogo foi a Cláudia. Não demorou muito a se revelar. Seu personagem era o Rei Arthur que tem o poder de trocar cartas com os jogadores. Como ela estava na quest do Graal, e eu tinha cartas que podiam ajudá-la, várias vezes ofereci para trocar. Mas ela estava um pouco relutante. Até que num momento de desespero geral dos cavaleiros, estávamos para ganhar a quest, ela recusou a carta e foi para outro lugar. A máscara caiu em definitivo, mas optamos por não acusá-la para não nos prejudicarmos ainda mais.
Carlos e Michael



Isso mesmo, já estávamos a meio passo da derrota! Perdemos Excalibur, perdemos a Armadura de Lancelot, o castelo já estava quase todo cercado por catapultas, nossa brava guerreira Graça foi perdida em bravo combate. Carlos tentava destruir, até com sucesso, o avanço das catapultas. Mas mesmo assim, fracassamos. 
Graça e Carlos
 A Távola Redonda já estava quase com a metade de espadas pretas, e apenas 2 brancas quando a última catapulta entrou em nosso território, e do alto da torre ouvimos a gargalhada vitoriosa de nossa algoz.  Era o fim dos cavaleiros e de Camelot. O que fazer quando o próprio Rei Arthur é o traidor de seu reino? Mudar de jogo! :)


CATAPULTAS: nossa derrota vergonhosa

A Traidora! Nossa "carrasca" de bom coração.


7 WONDERS
2 a 7 jogadores /+10 / 30 min

Cada jogador é responsável pela construção de uma das sete maravilhas do mundo. Ao longo de três eras, os jogadores precisam acumular matérias primas e produtos manufaturados, construir um exército, desenvolver-se cientificamente, comercializar produtos, e claro, acumular pontos de vitória para ganhar o jogo.

Distribuídas as maravilhas (que são os tabuleiros) para cada jogador e uma breve explicação das regras, começamos o jogo. A minha era o Mausoléu de Halicarnasso. Optamos por jogar com o lado (A), pois haviam 3 iniciantes. Essa foi minha segunda partida, então, podemos considerar 4 iniciantes. Graça e Carlos já são experts. Pelo mesmo motivo, não usamos as expansões Leaders e Citys. Mas acho que já podem entrar numa próxima partida.


7 Wonders é um jogo de cartas bem rápido, e as cartas passam de jogador a jogador, tornando as decisões estratégicas e bem difíceis, pois, o jogador precisa pensar o que é bom para ele naquele momento, o que virá a ser bom no futuro, e o que também é muito importante, o que é interessante para o adversário. 

Graça logo começou a se destacar com a estratégia científica (cartas verdes), e Carlos suou para marcá-la. Eu, timidamente, tentei impedir que cartas muito boas passassem adiante, e quando não podia usá-las, optei por construir os estágios da minha maravilha (devia ter mais de 15 pontos de vitória perdidos ali embaixo).

Mausoléu: meu tabuleiro-maravilha ao final do jogo
 Acabei investindo bastante em poderio militar para me proteger dos meus vizinhos Michael e Fabrício. Cláudia já tinha uma verdadeira fortuna a sua frente. E Michael, várias cartas de ponto de vitória. Como disse Carlos, é muito difícil você saber quem está ganhando e a contagem de pontos foi acompanhada com grande expectativa. Graça estraçalhou com as cartas de ciências: 43 pontos!  Mas, como ela mesma disse, não teve como investir nas outras atividades. Ganhou aquele que conseguiu diversificar mais: Michael!


pontuação final detalhada e colocação:
[da esq - dir: Michael (1º), Renata (2º), Fabrício (6º), Cláudia (5º), Graça (3º), Carlos (4º)]

Semana que vem tem mais!

8 comentários:

  1. Renata, obrigado por identificar a doença da qual estou sofrendo (Miniaturis). Por favor, indique um remédio, antes que eu chegue no estágio HeroClix!
    Ficaram ótimos o post e as fotos!
    E agradecimentos ao Restaurante Jambeiro, que nos tem acolhido nas tardes de domingo.
    -Fabricio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem lembrado! Muito obrigada ao Jambeiro Restaurante!

      E Fabrício, relaxa, a gente te interna antes de você chegar nessa fase! *foge* :)

      Excluir
  2. Só uma correção.... o Shadows over Camelot é da Days of Wonders e não da FFG.

    Aproveitando.... o SoC é um joguinho desgraçado mesmo, hehe.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso que dá escrever as 2 da manhã e trocar o nome que está estampado em letras garrafais na sua frente >.<"
      Mas pra isso temos nossos leais leitores pra nos ajudar! Valeu, Jesse! ^-^
      rssss

      Excluir
  3. "Miniaturis Agudis Precisus" é contagioso???? Espero que não tenha pego...sentei do lado dele.Hahahahha.
    Adorei os jogos. A única coisa ruim foi a traidora de Shadows over Camelot...fraquinha...hahahahha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. huahuahuahuau Olha, eu ainda não conheço a cura, e sinto dizer, costuma ser contagioso :P

      Excluir
  4. Melhor estratégia do 7 Wonders é escolher as cartas com desenhos mais legais, sua cidade fica bonita e de quebra você ganha o jogo!
    E vamos acabar tendo que erradicar a Miniaturis Agudis Precisus numa partida de Pandemic antes que o sintoma se alastre e leve geral à falência!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahhahaha sem duvida, mike, sua estratégia foi a mais bela :P

      Excluir