18 de mar de 2012

Da Torre ao Espaguete

Resumo da semana, no último sábado, dia 10, tivemos a Torre das Peças e nesta última quinta, o tradicional Spaghetti.

TORRE DAS PEÇAS 

Cheguei já no meio da tarde com o restaurante bastante cheio. A princípio, parecia um repeteco da jogatina anterior, com Fortune and Glory e Dragon Valley rolando nas mesmas duas mesas. O pessoal realmente gostou dos jogos, e estava apresentando a mais jogadores.

EGIZIA
2 a 4 jogadores / +12 / 75 min
"Todos são construtores no Antigo Egito e competem por ser o construtor mais famoso dos monumentos antigos clássicos como Pirâmides, Obeliscos, Templos, etc. Quem conseguir mais pontos de vitória ganha."

Eu e Dani Balard nos juntamos a Estevão e Rodolfo para uma partida de Egizia. Egito com workplacement, pronto, já sabia que ia gostar, além da dupla Samuel e Dani Malavasi também já terem indicado. Não deu outra. Fácil de entender, e com uma dinâmica rápida. Basicamente, precisamos construir os monumentos no antigo Egito em busca de pontos de vitória. Para isso, a cada turno, devemos escolher entre cartas que dão ações e poderes especiais, as construções dos monumentos ou evoluir o nível dos trabalhadores.

Até a metade do jogo, nada parecia muito definido para mim. Eu demorei a pegar as cartas de objetivo que pontuam no final do jogo, mas por conta de uma boa combinação de pedras e comida que consegui fazer no inicio do jogo, me garanti para construir bastante no final da partida.Claro, somado a ajuda de algumas cartas de poderes ótimas que me permitiam subir o rio e ocupar o mesmo espaço que outro jogador.

A contagem estava disputada entre Daniel e Rodolfo, mas meus pontos da Esfinge me deram uma alavancada na contagem final.

 Colocação:
Renata 93 pontos
Daniel 79 pontos
Rodolfo 77 pontos
           Estevão 71 pontos


COLONIZADORES DE CATAN
3 a 4 jogadores / +10 / 90 min

"Colonos disputam o domínio de uma ilha construindo vilas, estradas e cidades."

Todo clássico que se preze tem que ganhar mesa quando alguém diz que nunca o jogou, é uma questão de honra, mesmo quando já estamos um pouquinho cansados de jogá-lo. E o fizemos em homenagem a dupla Estevão e Rodolfo. Mas é só fazer o setup, rolar o primeiro dado, que o monstrinho volta a ganhar vida, e a disputa pelo domínio de Catan começa!

Logo durante o setup inicial, quando colocávamos nossa cidade no mapa (pois jogamos a versão mais rápida começando com vila + cidade), Rodolfo teve uma atitude infeliz. Ele posicionou a cidade dele numa quina entre a minha e a do Estevão, bloqueando qualquer caminho pra minhas cidades. Eu que não gosto de conflitos e jogos de guerra, a declarei contra ele naquele momento. Anti jogo logo de cara? 

Não ia ser fácil dar a volta por cima, ainda mais porque os dois se uniram contra eu e o Daniel, a troco de nada. Mas a experiência acabou vencendo. Já estava com 9 pontos, quando Dani pegou minha carta de maior estrada, e completou a ação ganhando mais dois de maior exército, fechou com 11 pontos. Vitória merecida, provando mais uma vez que Catan não se joga sozinho, e sim sabendo negociar na hora certa.

Colocação:
Daniel 11 pontos
Renata 7 pontos
Estevao 7 pontos
           Rodolfo 5 pontos


LAST WILL
2 a 5 jogadores / +12 / 60 min

“Como seu último desejo, seu tio rico afirmou que todos os seus milhões iriam para o sobrinho que melhor puder desfrutar de seu dinheiro. Como saber  quem será o sobrinho que ficará rico? Será dado, a cada um, uma grande quantia de dinheiro e quem  gastá-lo primeiro será o herdeiro legítimo.”

 Em seguida, eu e Dani fomos para a mesa de Last Will com Victor e Nuno, partida já combinada anteriormente, e com muitos meses de atraso. Minha lista de Essen'11 está completamente defasada e agora que estou correndo atrás do prejuízo.

Simplesmente amei o jogo! Claro, já tinha lido bastante sobre ele, estava doida pra jogar, a resposta de quem joga sempre é positiva, mas é preciso conhecer pra poder sentir. Seu primeiro desafio é quebrar o paradigma ao qual estamos tão acostumados que é acumular pontos e/ou riquezas. Estamos condicionados a produzir saldo positivo, e de repente temos que fazer justamente o inverso, gastar, perder tudo! Leva um tempinho até que seu cérebro funcione ao contrário, e comece a pensar qual a melhor forma de produzir combos que "torrem" seu nada suado dinheirinho.

Pra piorar, iniciamos o jogo cada um com a quantia de 110 dinheiros, quando normalmente inicia-se com 70, o que tornou o jogo bastante disputado até a última ação a ser feita! Não posso deixar de reportar que no penúltimo turno, quando decidimos vender nossas propriedades (pois não podemos declarar falência enquanto tivermos bens), eu precisei desvalorizar a minha (laranja), ajudando o Daniel que também tinha casa da mesma cor, e valorizar a dos adversários, Victor e Nuno, ambos tinham a cor verde. Nesse momento você aprende o que é cutucar a onça com vara curta. Foi preciso que eu saísse da mesa de tão irritado que deixei o Victor. A tensão é tão grande, que os 3 dinheiros em que valorizei sua propriedade atrapalharam muito sua estratégia.

Aumentando ainda mais a tensão, eu e Nuno empatamos em dinheiro, e o desempate era quem tivesse se planejado primeiro na escolha das ações, me dando vantagem. No entanto, eu abro mão do primeiro lugar, assumindo o empate de honra com o Nuno, pois ele conseguiu fazer o jogo sem usar da carta de ação extra, parabéns!

Pra finalizar, a arte do jogo é maravilhosa! Mais um motivo pra minha mão coçar e não resistir a comprá-lo quando cheguei em casa.

Colocação:
Renata 5 dinheiros
Nuno 5 dinheiros
Daniel 6 dinheiros
           Victor 7 dinheiros

SAINT PETERSBURG
2 a 4 jogadores / +10 / 45 min

"Em 16 de maio de 1703, o Czar Pedro, o Grande, fundou a primeira construção. Rapidamente prédios impressionantes são erguidos cada vez maiores e bonitos. Tais construções atraem a glória da aristocracia e pontos de vitória aos jogadores. Todos devem pegar as cartas certas que por vezes estão bem à sua frente."

Já fechando a noite, fica aquela sensação de "vamos aproveitar mais 30 minutinhos", e eu e Victor fomos jogar Saint Petersburg. Realmente já eram 22h, tinhamos jogado 3 jogos cada um e estávamos cansados. Estava me sentindo uma pata fazendo perguntas bobas e repetitivas a cada regra que ele explicava. Mas conseguimos levar quase até o final. Abdicamos do término por conta da hora, e a partida terminou com larga vantagem de pontos pro Victor. 



Rolou ainda Black Gold, Ra, Shipyard, Belfort, Wiz-War, Dominant Species, Olympos, entre outros.



SPAGHETTI DAS PEÇAS

A quinta contou com a visita ilustre da minha querida amiga Luciana Biazzi, que foi especialmente conhecer a galera do Spaghetti para uma matéria jornalística. Bouzada a entreteve com a história do surgimento dos movimentos cariocas, enquanto Rodrigo lhe apresentava os jogos da sagrada estante do Spoleto! Mas claro que eu não ia deixá-la ir embora sem provar do veneno, então, juntamente com Dani Balard, fomos compor uma mesa de Small World.



SMALL WORLD
2 a 5 jogadores / +8 / 80 min 
 “Small World é um jogo de civilização onde os jogadores se confrontam para conquistar e controlar um mundo que é pequeno demais para acomodar a todos! Cada civilização é formada pela combinação de uma raça com suas próprias habilidades mais um poder especial único, podendo se formar diversas combinações diferentes.“



Há muito tempo queria jogá-lo, então pedi que o Dani o trouxesse. Cerco de área e combate realmente não são o meu forte, mas aliado as criaturas místicas desse pequeno mundo, como não se encantar? Fiquei por último na ordem de jogo e acabei me dando mal na escolha das raças+poderes especiais. Lu ficou com os Elfos+Catapultas [Catapult Elves], e Dani com a bombástica combinação de  Fadas+Pilhagem [Marauding Pixies]. Não podia renegar minhas queridas Ciganas+Voadoras [Flying Gypsies], mas elas pouco puderam fazer frente ao mar de fadas que dominaram o tabuleiro no primeiro turno do jogo.

Pra piorar, Lu não queria fazer aliança contra a soberania de Daniel, afinal, apesar de se dizer café-com-leite (quem não te conhece que te compre), ela disputava a liderança de igual pra igual com ele. Enquanto eu e minhas ciganas íamos ler o tarô em outras freguesias.

Entramos em declínio, mas o cenário não mudava a meu favor nem com toda a magia dos duendes irlandeses. Lu continuou arrasando com a combinação Forest Giants, Dani destruindo com os Stout Barbarians, e eu pastando com os Imperial Leprechauns.

Sétimo turno, já dava pra vislumbrar o final catastrófico do jogo. Daniel se estabeleceu com os Barricade Homunculus, que lhe permitiam muitos pontos por turno, sem o menor esforço. E acreditem, eu tentei atacá-lo, mas já era carta fora do baralho a muito tempo. Tentei equilibrar um pouco contra Underground Ghouls da Lu, e meus valentes Spirit Goblins lutaram até o fim por míseros pontinhos finais.

Acachapante vitória do Dani, mas gostei do jogo. Apesar de termos usado apenas o tabuleiro base, já deu pra sentir que a variedade de raças + poderes confere uma rejogabilidade alta e interessante.

Colocação:
Daniel 113 pontos
Luciana 83 pontos
           Renata 78 pontos


DIXIT
3 a 6 jogadores / +8 / 30 min
"Diante de várias belas imagens, um jogador será o “narrador”, aquele que dirá em voz alta o que a carta escolhida por ele significa. Os demais jogadores deverão escolher, da sua mão, uma carta que se assemelhe a descrita pelo narrador. Todas serão embaralhadas, e todos devem tentar adivinhar qual era a carta original.”



Peter e Leandro chegaram no meio da partida anterior, mas Lelê acabou indo embora cedo. Peter puxou o já clássico Dixit para a Lu conhecer outro tipo de jogo. Foi uma partida calma, perto dos padrões, e com quase todo mundo acertando as cartas, o que não costuma ser normal. Jogamos com a variante da carta aleatória, conferindo mais diversidade e dando chances ao narrador de também interpretar as cartas. Gosto muito dela e da incrível imprevisibilidade de uma carta aleatória ter tanto ou mais a ver com o tema da vez que as escolhidas pelos jogadores.

Colocação:
Peter 32  pontos
Lu 30  pontos
           Re 28 pontos
           Dani 22 pontos

SABOTEUR
3 a 10 jogadores / +8 / 30 min


"Anões escavam uma mina em busca de ouro. Mas entre eles há sabotadores que atrapalharão seu caminho! Um jogo de blefe entre mineiros e sabotadores."


Final das mesas, quase hora de fechar, mas o grupo estava animado, então fizemos um mesão de Saboteur pra soltar os bichos, afinal, só tinha sabotador nessa mesa!

Em busca do equilibro, acabamos testando 3 setups diferentes, um para cada rodada do jogo. Na primeira, seguimos a regra de se ter 1 ou 2 sabotadores, com aleatoriedade. Jogamos toda a partida achando que tinham 3, de tão sacanas que estavam sendo os jogadores. Dúbio era pouco para esses mineiros, mas acabou que só tinha um mesmo, e era a Fernanda jogando "sozinha" o tempo todo. Primeira vitória dos mineiros.

Na segunda rodada, aumentamos para 3 sabotadores mais 5 mineiros, podendo ter de 1 a 3 sabotadores na partida. Novamente pensamos que tivessem 3, mas eram dois que fizeram muito bem o serviço! [Adendo: "Luciana" + "Sabotadora" deve ser cármico, anda junto com o nome. Lu Azevedo, quase que perde seu primeiro apelido!]

Por fim, usamos o número fixo de 2 sabotadores, e fluiu muito bem, bastante disputado. Bouzada sabotando geral, mas os mineiros conseguiram virar o jogo!

Acho que essa foi umas das pouquíssimas partidas que não tirei sabotador nenhuma vez, confesso que é um pouco monótono isso. Sabotar é mais divertido!

Colocação:
Daniel 6 pepitas
Bouzada 5 pepitas
Renata 5 pepitas
           Fernanda 4 pepitas
           Rodrigo 4 pepitas
           Luciana 2 pepitas

Foi uma noite tranqüila, apesar do calor assassino que estava fazendo, mas além dessas mesas, o pessoal ainda teve pique para Egizia, Blokus, Olympus.

[PS. E Lu, pode ficar tranqüila que seus títulos estão salvos, a nova Lu foi batizada pelo Dani de "Lu Repórter" ;)]

2 comentários:

  1. Opaaaaa.....
    Quer dizer que é só eu faltar algumas semana e já tem outra "lu" no meu lugar?!
    Ela pode ficar com o apelido de Voltinha?
    Diz que simmmmmm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é, pra você ver como eu me sinto òó
      Mas "relaxa" que "voltinha" será eternamente seu :P

      Excluir