7 de out de 2011

Spaghetti bombando!

Ontem foi dia de Spaghetti lá no Spoleto e a casa estava cheia! Muito feliz em ver a galera voltando, e muita gente nova! (se tiver alguém lendo, apresente-se lá nos coments ;) )


SAMURAI
2 a 4 jogadores / +10 / 45 min

"Os jogadores utilizam suas peças para cercar as cidades japonesas e garantir o apoio de três diferentes tipos de figuras. Estas figuras representam as três facetas da sociedade japonesa na época (alimentação, exército, religião). O objetivo é ter o maior número de algum dos tipos de figura e também o maior número de outras figuras."



Pensei que tinha conseguido chegar cedo, mas os viciados de plantão já estavam engatados nos tabuleiros. Lu, Gian, Leandro e Filipe terminavam uma mesa de Samurai, que depois de um tempo ausente, está ganhando novos fãs e retornando às jogatinas.

A discussão estava quente, era o movimento final e contagem de pontos. Luciana estava subindo nas tamancas, contra, como sempre, Leandro, lavando a roupa suja da jogatina do sábado passado!

“O Lelê fez o anti-jogo que me acusou anteriormente! Ele acabou com o jogo dando vitória para Filipe que tinha já 2 maiorias!” (Luciana)

[Nota de Esclarecimento: informamos por meio desta, que o apelido “Lelê” e derivados referentes ao jogador “Leandro” não possuem cunho afetivo, e são puramente de uso punitivo. Obrigada.]

Parabéns ao Filipe e ao Leandro, que dividiram a vitória com um empate.  
[Edit: anteriormente reportamos que a vitória havia sido apenas do Filipe, pedimos desculpas e retiramos o prêmio Samurai. Depois a gente faz uma outra partida de desempate pra resolver isso. ;)]
 
Rearranjamos as mesas com o pessoal que já estava esperando e formamos uma de Colonia, Civilization e Cable Car.

COLONIA– 1322 A.D.

3 a 6 jogadores / +12 / 120 min

“Colonia, na Idade Média é a maior cidade do "Sacro Império Romano".
Neste jogo os jogadores são os líderes das principais famílias que ocupam posições influentes no Conselho e controlam a fortuna da cidade.Um elemento crucial para alcançar esta meta é a poderosa Igreja Católica Romana, como foi o caso freqüentemente naqueles dias. Raras e preciosas relíquias aumentam o prestígio e a influência da Igreja. Os jogadores que puderem obter as relíquias mais valiosas terão as maiores chances de vitória!”

Leandro, eu, Tati e Gian fomos paparicar o cléro em busca de prestígio. Já estava com as vitórias consecutivas do Leandro entaladas e queria que qualquer um ali vencesse (menos ele, claro), só pra azucrinar mesmo.

Como disse na semana passada, Colônia é um jogo simples de entender, pois tem uma seqüência muito lógica de ação, onde cada dia da semana depende do outro, assim como a seqüência dos recursos (matéria prima > produto manufaturado > exportação > dinheiro > compra de relíquias). Conseguindo administrar bem isso, você poderá ter mais chances de comprar mais relíquias que são os pontos de vitória do jogo.
Elas são difíceis de conseguir, então cada mísero 1 pt pode fazer muita diferença.

Tati disparou na frente em termos de dinheiro, mostrando que apesar de nova ali no grupo, não ia entregar a vitória fácil. Gian, na reta final, conseguiu um ótimo número de bens para exportar e começou a dar pinta de que o jogo estava pra ele, inclusive tendo o poder de voto da última rodada, tendo nossas vidas em suas mãos. Difícil foi ter jogo de cintura pra conseguir se virar com poucos trabalhadores, nenhum produto compatível com o barco final e tentando disputar a mesma relíquia com ele, que jogaria primeiro.
Gian e Tati disparam no dominio de Colônia.

Detalhe do tabuleiro no meio do jogo. Ótimo design em torno dos dias da semana.

A pseuda vantagem que eu e Leandro tínhamos no inicio do jogo por já o conhecermos parecia que estava indo por água abaixo. Já estava me conformando com a disputa por um terceiro lugar. No último lance, em que trocamos o dinheiro por vitrais que rendem mais 2 pontos de vitória, numa sorte saída do fundo das catacumbas de Colônia, consegui garantir MILAGROSOS 4 pts. Sem falar que Gian aprovou todas as leis disponíveis, inclusive a que permitia trocar os tipos de moeda. Foi o que me fez dar um último suspiro.

Gian ainda fez suspense, deixando a contagem dele para o final, só pra comemorar, mas (olha o milagre ai de novo), por 1 ponto de diferença, consegui ir a forra com o Leandro e voltar feliz pra Nikity City XD

Colocação:
Renata 14 pontos
Gian 13 pontos
Tati 10 pontos
           Leandro 9 pontos


SAN FRANCISCO – CABLE CAR
2 a 6 jogadores / +8 / 45 min

“Cada jogador dirige sua própria companhia de bondes e deve expandir sua rede. Pontos de vitória são distribuídos para cada estação conectada pelo jogador. Os jogadores podem também ser acionistas das companhias dos demais jogadores e assim participar na distribuição de pontos dos oponentes.”

Na mesa ao lado, enquanto rolava Colônia, a turma puxou dois jogos.
O primeiro foi Cabel Car, do mesmo autor de Colônia, Dirk Henn. A principio parece uma versão simplificada de Carcassone, doce ilusão... É preciso ter uma boa visão espacial do conjunto do tabuleiro, ter um pouquinho de vidência em como os tiles serão colocados ao longo do jogo e uma sortezinha com as ações das companhias de bonde.
Tabuleiro já quase no final do jogo.

As caras de maus amigos do Dani e do Shamou são porque o Leandro não deixa ninguém em paz, nem nos jogos dos outros. (e olha só o tamanho dessa legenda? Lelê só da trabalho, tsc tsc :P)

Os velhos de guerra ficaram envergonhados pois perderam para dois meninos novos e justamente o vencedor não tenho o nome. Honroso campeão, se andares pelas páginas do Desbussolados, reclame sua vitória ;)
Colocação:
Mister X 77 pontos
Nuno 74 pontos
Daniel 61 pontos
           Filipe 45 pontos
           Zé 41 pontos
           Shamou 25 pontos

Repeteco CABLE CAR

Quando terminamos o Colônia, puxamos também o bonde, até por se tratar do mesmo autor, conhecer o estilo e porque seria uma partida relativamente rápida.
Confesso que não me dei nada bem com ele, só construindo estradas pífias que rendiam poucos pontos para as minhas cores originais (vermelho e preto).

Sem querer, dei para a companhia marrom, logo no começo do jogo, uma grande estrada, e ela disparou na contagem. Depois tentei trocar uma das minhas ações pretas por uma marrom, mas não tive sorte, saiu uma azul, que estava tão mal quanto no score. Leadro e Gian pareciam ter a companhia roxa, que correu mais que um Fórmula 1 pelos trilhos de São Francisco. Tati ficou na moita e ganhou vários pontos no final, pois tinha ações de várias cores. 

Achei a contagem dos pontos extremamente confusa, e o jogo não merecia isso. O visual é muito bonito e parabéns ao coitado do design que teve a paciência de desenhar tantas casinhas. O mérito vai para o detalhe de que qualquer tile que você combine, em qualquer dos quatro lados, tem continuidade, os desenhos se complementam. Pra mim, o jogo já valeu por isso!
Colocação:
Leandro 83 pontos
Tati 59 pontos
Gian 57 pontos
           Renata 44 pontos


ATTIKA
2 a 4 jogadores / +10 / 60 min

“Na antiga Grécia, Atenas, Esparta, Corintios e Tebas competem pelo domínio da península grega a influência no Monte Olímpo. Os jogadores trabalham para liderar suas cidades-estados até a vitória. Começando com um pequeno vilarejo, cada um transforma sua cidade em uma metrópole com oráculos, templos, teatros e ruas. Eles tentam obter terras ricas em recursos enquanto impedem que seus adversário façam o mesmo.”


Voltamos à mesa ao lado, ligeiramente modificada, agora com Dani, Filipe, Edu e Nuno. Em um desabafo do ex-poderoso Chefão, sem sua poltrona mágica, Daniel reclama de suas duas derrotas do dia , para a sorte de Edu que foi o campeão do jogo.

Filipe ensinando o jogo.

Detalhe dos componentes.


CIVILIZATION
2 a 4 jogadores / +13 / 180 min

“Forjar um império para resistir ao teste do tempo usando a mecânica de jogo inovadora com múltiplos caminhos para a vitória. Você vai levar o maior exército do mundo a conquistar seus inimigos? Ou você vai ser o primeiro a viajar para as estrelas, tornando-se a civilização mais avançada tecnologicamente conhecido pelo homem? A escolha é sua. Inspirado na série de videogame criada por Sid Meier”

Rei Peter e Doutor Bouzada.
Se engalfinhando na mesa central, estavam Bouzada, Lu e Peter em busca do desenvolvimento de suas civilizações. Bouzada parecia levar vantagem, mas Luciana, quer dizer, Cleópatra VII Thea Filopator, rainha magnânima do Egito, não ia entregar seu império tão facilmente. Investiu no exército, desenvolveu o militarismo e sem dó nem piedade, destruiu a cidade de Rei Peter, colocando em risco sua amizade e troca de favores futuros. Mas a ameaça de derrota inflou seu ego, e partiu novamente para o ataque, disposta a conquistar a capital de Peter, que com um contingente menor (3 cartas) superou a Majestosa Rainha das Terras Férteis (5 cartas) impedindo sua vitória.

Luciana, trocando o título de "Lenda" por "Rainha do Nilo".
Se você achou que este jogo estava mais para Fina Estampa do que pra Civilization, acompanhe o Dicionário do Crô e aprenda mais sobre as majestades antigas. 
Mas de nada adiantou tanta traição entre amigos, pois Doutor Bouzada, gênio inventivo do mundo antigo, sagrou-se campeão através da tecnologia.

Antes de ir embora, ainda rolou: Dice Town, Citadels, Hacienda, Horus Heresy. E isso foi só o aquecimento para o sabadão de amanhã. A noite ainda contou com o retorno do Caldas diretamente das terras de Carcassone para o aconchego do lar, o Spaghetti, claro. ;)

Dice Town

Hacienda

Horus Heresy

E como hoje é sexta (7), deixo registrado os parabéns do Desbussolados ao amigo Shamou que completa mais um ano de vida! Felicidades, Shamouzão! \o/

E lembrando que amanhã tem Torre das Peças, e vai ser nosso primeiro registro oficial do evento. ;)

9 comentários:

  1. a "rainha do nilo" reportou que quem ganhou foi o Filipe. Agora quero uma CPI pra averiguar isso! XD
    Testemunhas?

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Daniel! O único jeito que esse pessoal arrumou de diminuir minhas conquistas é a divulgação de relatórios falseados, pois, no tabuleiro de fato, continuo com minha trajetória imaculada de vitórias... rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Deixa de ser c###do que eu retiro a trégua, heim? Depois não sabe pq sofre cyberbullying.

    E já tá editado! Isso tudo foi uma trama da Rainha do Nilo pra se vingar da foto que eu coloquei no post passado! u.u

    ResponderExcluir
  4. Só para deixar BEMMM CLAROOOOOO que no Civilization, onde se lê "Mas de nada adiantou tanta traição entre amigos", na verdade deveria ser "Mas de nada adiantou tanta traição da Luciana com seu amigo Peter"!!!! E não "entre amigos", pois foi unilateral a traição, totalmente via de mão unica, sem qualquer motivo aparente, apenas pelo prazer da destruição do coleguinha ao lado mesmo. E mais, não satisfeita em destruir minha cidade, ainda construiu outra por cima, não respeitando nem mesmo os mortos ali enterrados. :P

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    O jogo é muito bom, mesmo perdendo feio, gostei muito dele. :)

    Abraços,
    Peter

    ResponderExcluir
  5. LuA - Rainha do Nilo...8 de out de 2011 00:58:00

    Quer dizer que enquanto eu trabalho vcs ficam falando de minha ilustre pessoa?

    Peter, o que vc fez foi anti-jogo! Vc praticamente deu a vitoria para o Bouzada ao sobreviver ao meu ataque a sua capital! ;-)

    Rssss

    ResponderExcluir
  6. huahuahuahuahuahua
    LuA encanou com o "anti-jogo", agora isso vai ser justificativa.

    Ai, ela adotou o novo titulo! *.* Magnânima! XD

    ResponderExcluir
  7. Sem contar que a Luciana passou a fugir das mesas onde estou jogando, simplesmente para tentar reverter a série de derrotas seguidas que lhe foram impingidas. Mas, pelo visto, esta tática da fuga não lhe tem sido tão proveitosa... hauahauh

    ResponderExcluir
  8. Blog está muito maneiro :)

    Relembra os bons tempos dos reports completos da Torre.

    Agora levar Horus Heresy para o Spaghetti é muita força de vontade, nem acreditei.

    ResponderExcluir