18 de out de 2011

Jogatina de Sábado - o "Drama" das Cadeiras

Como já vem se tornando comum nas últimas semanas, o pessoal tem marcado quase sempre uma joga aos sábados, nos intervalos dos eventos mensais (Torre e Castelo). Essa semana foi na casa da Lu, que quase entrou em desespero ao ver que a lista de convidados crescia a olhos vistos, tomando as proporções de evento mesmo. O grande temor era não poder comportar tantos jogadores em sua casa. Mas o drama não foi justificado, pois conseguimos colocar um sistema de horário para coordenar as mesas, praticamente uma dança das cadeiras e assim, ninguém ficou sem banquinho. Na próxima, vou pedir pra cantarem: "A Lu avisou, você se atrasou, pegue o seu banquinho e saia de mansinho!" (livre adaptação).


Mas vamos voltar ao que interessa. A galera fiel, como sempre, chegou cedo e já caiu dentro das setes maravilhas.

7 WONDERS
2 a 7 jogadores / +10 / 30 min

Estavam na mesa Daniel Balard com o Colosso de Rodes, seu amigo Victor "Squit" com a Grande Pirâmide de Gizé, Eduardo com a estátua de Zeus em Olimpia, Leandro com o Mausoléu de Halicarnasso, Gian com o Farol de Alexandria e Luciana com os Jardins da Babilônia.


Daniel venceu com uma ótima pontuação este jogo que acaba de vencer em 5 categorias o Prêmio JoTa (principal prêmio brasileiro do ramo).
Colocação:
Daniel 63 pontos
Victor Squit 58 pontos
           Eduardo  46 pontos
           Leandro 41 pontos
           Gian  41 pontos
           Luciana 18 pontos

WINNER'S CIRCLE
2 a 6 jogadores / +10 / 60 min
Em seguida, investiram seus suados dinheiros nos rebeldes cavalos do Jóquei. Daniel fechou dobradinha de vitória com um corpo de vantagem sobre Leandro, que ficou a uma cabeça de vantagem sobre Victor. Na último pelotão estavam Luciana e Gian.
Colocação:
Daniel $2500
Leandro $1500
           Victor $1150
           Luciana $650
           Gian $400

OS COLONIZADORES DE CATAN
3 a 4 jogadores / +10 / 60 min

Depois de meses de desaparecimento, e uma bela de uma intimação judicial, Fabi resolveu aparecer para rever os amigos, e terminar de viciar seu irmão Vinícius nos jogos de tabuleiro. ( O menino sofreu lavagem cerebral por uma semana e vai voltar pra Minas falando um monte de nomes esquisitos como Catan, Carcassone, Dixit... para estranheza dos amigos.) Peter também chegou pra fechar a mesa na disputa e conquista da supremacia na ilha de Catan.

Colocação:
1º: Peter
Fabiana
           Vinícius

COLONIA– 1322 A.D.

3 a 6 jogadores / +12 / 120 min

Quando cheguei, Leandro ensinava Colonia para um grupo, e Lu ensinava Golden City para o outro. Acabaram me arrastando para este último.
Tive a impressão de que a explicação do Colonia estava bem mais longa do que o normal, e o jogo com cinco pessoas também, mas menos do que eu imaginava que fosse.  A disputa foi acirrada entre os convidados Edu e Victor, mas este levou a melhor. Daniel que parecia ir bem, acabou em terceiro, Gian, show de bola, ficou em penúltimo, e o dono do jogo (que ultimamente fica mais pentelhando as mesas alheias do que prestando atenção à sua) ficou em último.

Tabuleiro no final do jogo. (foto by Victor Cardoso)
Edu e Leandro, caras de decepção com os resultados.  (foto by Victor Cardoso)
Colocação:
Victor 11 pontos
Edu 10 pontos
           Daniel 10 pontos
           Gian 8 pontos
           Leandro 6 pontos


THE GOLDEN CITY
3 a 4 jogadores / +10 / 60 min

De longe os aventureiros chegaram à ilha com a cidade dourada no seu centro. Recém-chegados abriram a primeira loja diretamente na costa. Já é possível abrir outras em aldeias ao longo das ligações de ruas. Vale a pena, pois através delas você terá bens, chaves, dinheiro e concessões que você precisará para ficar à frente. E, finalmente, o primeiro é capaz de estabelecer-se na Cidade de Ouro e obtendo, assim, os mais preciosos contratos de comércio.


Lu, Fabi, Vinícius e Peter estavam prestes a começar o jogo, e como o Vinícius é novo no ramo, acabei entrando pra fazer setup e assessorá-lo, só pra não ficar de bobeira durante uma hora. Jogo interessante de colocação de casas e recolher cartas com benefícios para ganhar pontos de vitória. Como muitos jogos, também tem cartas especiais de objetivos (como Strasboug, Ticket to Ride, entre tantos outros), e elas sempre valem a pena. Outra estratégia importante é dominar dois terrenos cortados por um rio, e tentar ter o maior tipo possível de especiarias. São importantes pontos que se acumulam rodada a rodada que podem fazer diferença no final, e não apenas os pontos do centro da cidade. Fiquei na vontade de jogá-lo mais um vez, mas desta vez valendo ^-^.


Tabuleiro e componentes. (BGG)
Fabi surpreendeu com uma ótima pontuação, deixando Vinícius para trás com a segunda. Mas esse menino tem futuro, bom raciocínio e capacidade de se adaptar as situações mesmo quando saem da sua estratégia inicial. Peter e Lu vieram em seguida na colocação.

Colocação:
Fabiana 85 pontos
Vinícius 66 pontos
           Peter 60 pontos
           Luciana 56 pontos


DIXIT
3 a 6 jogadores / +8 / 30 min

A pedido da própria Lu, levei mais uma vez o Dixit. Estava sentindo que rolava um temor psicológico ali. Mas entre o temor e a psicóloga, ficamos foi com as risadas mesmo. Leandro veio pentelhar e cobrar a patente das suas frases de efeito, dando trela pro Peter abrir outra rodada com o nome dele, mas não teve o mesmo efeito que da semana passada. Depois da rodada besteirol, ele sacou "Todo homem tem por natureza a busca pelo saber." Nada como um pouco de filosofia para criar um caos na mente dos adversários. Luciana se desesperava por não poder ganhar o jogo na base da argumentação (recurso que ela utiliza muito nos outros até nos ganhar pelo cansaço), Fabi estava numa serenidade ímpar, os ventos de Niterói estão fazendo bem a ela. Vinicius era o atrapalhado em pessoa até sair com essa: "Justiça". A carta era a mais óbvia, a da balança, mas o inusitado foi a explicação dele no final: "Achei que só fã de Disney ia entender."

Usamos mais uma vez a variante que permite ao Narrador também participar. Muito boa, sempre arranca risos, principalmente quando de aleatória a carta nada tem.
Pra variar, nesse jogo fiquei em último, e Fabi fez dobradinha de vitória. ;)

Colocação:
Fabiana 33 pontos
Peter 24 pontos
           Luciana 18 pontos
           Vinícius 18 pontos
           Renata 17 pontos



POWER GRID: FACTORY MANAGER
2 a 5 jogadores / +12 / 60 min

Cada jogador tem uma fábrica e deve ganhar o máximo dinheiro possível durante o jogo. Para ser bem sucedido, o jogador deve usar seus trabalhadores para comprar as melhores máquinas e robôs no mercado e usá-los da melhor maneira possível na fábrica. Por causa do valor crescente do custo de energia, o jogador deve cuidadosamente administrar o consumo de sua fábrica e evitar usar somente as máquinas com consumo elevado, ou verá seus lucros repentinamente sumirem!


Com o término dos dois jogos, Peter, Fabi e Vinícius foram embora, Tati chegou e redividimos as mesas, o que foi uma tarefa bem dificil. Não consegui impor meu desejo de jogar Discworld porque tinham duas viciadas em Power Grid (Lu e Tati) querendo conhecer o Factory Manager. Antes de mais nada, o que mais foi dito na sala: "não tem nada a ver com o PG! Usaram apenas o nome para lincar os jogos, mas é totalmente diferente." Mesmo assim elas resolveram encarar, junto com o Leandro, e deve ter sido bem "funde cuca" porque terminaram a partida cansados. Vitória da Tati com uma leve vantagem sobre Leandro e Lu que ficaram mais próximos.

Componentes. (BGG)
Colocação:
Tati 220 pontos
Leandro 211 pontos
           Luciana 209 pontos


KARNAXIS
1 a 6 jogadores / +12 / 60 min

Um jogo da vida com muita estratégia, cujo objetivo é se tornar o mais bem sucedido financeiramente. Candidate-se a empregos, entre para a faculdade, abra uma empresa, administre as ações da bolsa, pense no seu futuro com a aposentadoria, mas cuidado com os eventos e infortúnios que a vida pode apresentar.



Eu fui abduzida, sem mais chances de escolha pra mesa do Karnaxis, que tem um nome super atrativo (me remeteu ao Templo de Karnak, mas não tem nada a ver), um visual que deixa MUITO a desejar e ainda me descreveram como "é um jogo da vida, você vai gostar!"        Pausa.     Primeiro que qualquer coisa, em qualquer contexto que alguém fale que eu vou ou não gostar, já fico com o pé atrás. É como quando dizem: "é a sua cara", e você acha horrível, então conclui que tem uma cara horrível. Mas enfim, já que eu não tinha escolha, não julguemos o livro pela capa e vejamos a que veio esse tal de Karnaxis.

Foi então, que diante do meu olhar torto, o Gian contou a história do jogo. Ele não é muito conhecido, nem muito prestigiado, e o Fel o encontrou em uma de suas buscas por jogos alternativos (bons jogos que não ganham fama mas que merecem mesa):

"Eu o achei por acaso em uma dessas fuçadas, com uma propaganda do tipo "Game of Life done right." E vi mecânicas que me interessavam bastante como gerenciamento de recursos, objetivos assimétricos, stock market." (Fel Barros)

Ao entrar em contato com o designer do jogo, descobriu que era o primeiro brasileiro a se interessar em adquiri-lo, e acabou trazendo 3 unidades pro Brasil. A primeira partida do jogo em terras tpiniquins se deu com os distintos Fel, Gian, Lu e Tony. E se não estivermos errados nas contas, a desse último sábado foi a terceira. Fica a dica de que sempre vale a pena garimpar novos nichos e descobrir novos autores.

Detalhe superior do tabuleiro com as ações, cartas de eventos (ruins) e karnaxis (boas). (BGG)
Mas voltemos a esta partida. No início, você precisa escolher um personagem que definirá seus quatro atributos iniciais, poderá ou não te dar um poder legal e ainda te dará seu objetivo de jogo. O meu personagem me dava $10.000 de desconto nos impostos, o que se revelou ser uma maravilha. Meu objetivo era ser o Coletor de Impostos e jamais, em tempo algum, pegar empréstimo com o banco. Fica difícil definir qual personagem escolher quando não se conhece o jogo ainda, mas resolvi investir nesse.
O jogo se passa em 12 turnos / anos de vida, e logo de cara todo mundo pegou empréstimo! Entrei em pânico! Se já começava assim, como é que eu ia sobreviver? O jeito era pegar um trabalho, mesmo que fuleiro, pra pagar as contas. Gian pegou o "Coletor de Extrume" e eu fui de "Zelador". Vários trocadilhos, inclusive da outra mesa de ouvido na nossa, pra sacanear-nos. Receber salário é bom, mas achei que me prendia muito, pois você gasta uma ação pra manter o emprego. Abdiquei de ser zeladora e fui ter meu próprio negócio (que não lembro qual era, era bem meia-boca, mas fiz uma propaganda pra melhorá-lo um pouquinho). Gian acabou pegando meu trabalho, todo feliz que tinha subido na carreira (mais piadas). E eu atacando o seguro desemprego! Do outro lado do escalão social, Daniel se encaminhava para a medicina, e Edu era policial/mecânico (?). Muito evoluido os dois.

Daniel, Edu (costas), Renata e Gian tentando se dar bem na vida. (foto by Lu Azevedo)


Depois de um tempo começamos todos a investir na bolsa de valores, que a cada ano deve ter seus valores atualizados pelos dados (-2, -1, +1, +2). Minha mão santa só dava número negativo. Só pro Daniel saia positivo. Fali a empresa do Gian umas três vezes, coitado, e a do Edu também. Mas quando as ações pretas estavam em alta, todos se aproveitaram pra fazer um dinheirinho. Como nem só de presente se vive, investi nos três últimos turnos na aposentadoria, mas devia tê-lo feito antes, pois o retorno é muito bom.
 
Renata e seus dados amaldiçoados! (foto by Lu Azevedo)

Contagem final da bufunfa, Gian sempre faz aquele charminho de deixar o valor dele por último, mas não teve vez, meu combo de personagem com Coletor de Impostos me fez deixar de gastar muito dinheiro. Os meninos ganhavam muito e devolviam metade em impostos. E o resultado nem eu esperava.

Colocação:
Renata $704
Gian $664
           Dani $594
           Edu $496

BOHNANZA
2 a 7 jogadores / +8 / 45 min

Com a noite já alta, Leandro partiu e Tati pediu pra jogarmos Bohnanza de despedida. Pelo visto ela queria a revanche pelo Peter ter ganhado por 1 ponto na última vez. Simbora pra mesa de feijões, só o Edu não conhecia ainda, e, ô jogador dificil! Só faltou o Marcos Felipe ali pra azucrinar também. Ele criou uma nova categoria de negociações, "aceito seu feijão e em troca te dou um abraço!" Ninguém merece ¬¬"

Mas foi de abraço em abraço que ele conseguiu sua vitória, entre outras lambanças do Gian que liberava as cartas e depois via que tinha feito péssimo negócio, tsc tsc.

Colocação:
Edu 15 pontos
Gian 13 pontos
           Renata 12 pontos
           Tati 12 pontos
           Luciana 10 pontos



AFLUENTES
2 a 4 jogadores / +12 / 20 min

Um filete de água brota do subterrâneo e inicia seu caminho até o mar. Em Afluentes, os jogadores criam cursos d’água, ­enfrentando os problemas causados pela ação nociva e irresponsável das cartas dos adversários. Quem fizer mais pontos com águas limpas, livres de problemas ambientais, e afluentes vence o jogo.


Todos já tinham partido e como estava muito tarde e chovendo, acabei ficando na casa da Lu mesmo, pra voltar pra Nikity de manhã. Duas viciadas de bobeira não vão dormir a uma da manhã, então, a Lu topou meu convite de conhecer o Afluentes, jogo de cartas do amigo Luish Coelho de BH que está entrando no mercado internacional agora com o Recicle. Tinha comprado o jogo em março, minha caixinha numerada e autografada, mas ainda não tinha conseguido jogá-lo. Essa era a chance. Lemos as regras, um pouco grande, pois se repete algumas vezes, mas deu pra enteder bem, somente algumas dúvidas surgiram ao longo do jogo mas recorremos a elas novamente e beleza.

No Afluentes, nós temos um set de cartas com lençóis freáticos, nascentes, rios e mares, cartas que poluem ou causam destruição e as cartas que resolvem esses problemas. Temos que tentar fazer a maior quantidade de pontos criando as cadeias do lençol ao mar, e atrapalhar a evolução do adversário. Depois concluimos que esse é um jogo MUITO cruel, os males que o ser humano causa ao meio ambiente são tão desastrosos que corrigi-los torna-se muito dificil. É claro que essas reflexões não vieram as 2:30 da madrugada, mas deu pra sentir na pele o que é ser um rio poluido.

Parabéns ao Luish pela criação e pelo toque de consciência e sucesso com seus projetos!

Colocação:
Luciana 29 pontos
Renata 24 pontos

Fim de noite, era inicio de horário de verão e vimos que tinhamos perdido mais uma hora de sono, mas o dia tinha valido a pena, apesar da chuvinha chata que está teimando em cair aqui no Rio. 
Até a próxima dança das cadeiras! ;) 
Inté!

9 comentários:

  1. Só um pergunta... quantos dias vcs levaram para jogar isso tudo?? kkk

    bjo

    Jesse James

    ResponderExcluir
  2. Fala Jesse, beleza? Foram umas 15 horas de dedicação ininterrupta! Pessoal trabalha forte na jogatina XD

    ResponderExcluir
  3. E olha que o pessoal foi embora mais cedo dessa vez...

    ResponderExcluir
  4. caraca, quase uma rave ludica, hehe

    JJ

    Ps. nao consigo logar com meu usuário para postar aqui no se u blog, estranho!!

    ResponderExcluir
  5. Boa JJ!!!!!

    Rave Ludica... Adorei! Rsss...

    Aguarde, vai ser o nome da proxima jogatina que vamos fazer.

    Ps: eu tb nao estou conseguindo logar!

    ResponderExcluir
  6. Mas afinal, você gostou do Karnaxis?

    Boas mesas,

    Beijoca,

    Fel

    ResponderExcluir
  7. PS: Faz um upload das fotos no BGG?

    Precisamos dar uma moral pro cara :)

    ResponderExcluir
  8. Olha, Fel, o jogo é legalzinho, mas a falta de um design atrativo perde pontos comigo. Porque se vc vai ficar duas horas olhando pro cara, tem q ser agradável aos olhos.
    Mas ele funciona bem e realmente é um Jogo da Vida melhorado. XD

    Pode deixar que coloco as fotos sim.

    ResponderExcluir