26 de out de 2011

Massa? Espaguete. Ingredientes? Remédios para Gripe. Molho? Jogatina!


Na ultima quinta-feira foi a vez do Spaghetti bombar novamente. Depois de dias de chuva na cidade maravilhosa, o sol voltou a aparecer e junto com ele o público do Spoleto. Mas junto com o sol veio também os resfriados típicos de mudanças climáticas... E eu provei ser uma DESBUSSOLADA puro sangue! O que uma pessoa com bom senso, gripada, febril faria numa quinta-feira a noite? Tomaria os remédios e ficaria em casa repousando, certo? Certo. Mas disse uma pessoa de bom senso e não uma desbussolada! Esta desbussolada aqui tomou os remédios necessários para aguentar mais umas horinhas de jogatina... Confira!


THE PRINCES OF FLORENCE
2 a 5 jogadores / +12 / 90 min

"Você é um artista em Florença e precisa realizar trabalhos para agradar as duas maiores e poderosas famílias italianas, os Médici e os Borgia. Ganhe pontos de vitória realizando trabalhos de todos os tipos e ajudando a evoluir a cidade ao construir os palácios das famílias."

A noite começou cpm um delicioso Princes of Florence! Delicioso para mim, mas não para todos, porque Filipe cedeu seu lugar rapidamente para Fabi que acabara de chegar... 5 minutos depois foi a vez de Peter praticamente obrigar o Nuno a assumir sua vaga na mesa. Então seguimos uma batalha de muito trabalho tentando agradar os artistas de Florença. Em meios a construções de parques, florestas, lagos, prédios importantes e o apoio de construtores consegue-se realizar trabalhos que nos conferem pontos de vitória e/ou dinheiro. A escolha cabe a cada jogador.

Nuno, Fabi, Lu, Leandro e Bouzada no Princes of Florence

Numa partida acirradíssima, Nuno venceu com um ponto a frente do Bouzada, dois pontos depois veio Fabi, Leandro e eu amargamos a fronteira com segunda divisão.


EMINENT DOMAIN
2 a 4 pessoas / +12 / 45min. 

"Eminent Domain é um jogo de construção de civilização na galáxia em que suas habilidades são baseadas em um baralho de cartas de Função. Você pode colonizar planetas ou conquistá-los pela força. Recursos de colheita para o comércio e pesquisa para melhorar a sua tecnologia. Quem construir a melhor civilização ganhará o jogo!"



Enquanto isso na terra feliz dos tabuleiros, Filipe conseguiu colocar em ação seu jogo fresquinho e recém-chegado: Eminent Domain. Possivelmente, uma das primeiras partidas do Brasil, uma vez que o jogo vem atrasando seu lançamento há quase um ano e acabou de ser lançado.



Neste dado momento da noite foi possível contar 25 pessoas deleitando-se em diversos jogos! Numa volta rápida pelo salão Fabi registrou essas mesas:

Tati e Bruno encarando Thunderstone

Shamuzão puxando o brasileiríssimo Recicle

Pantera com sua galera vivendo um Chaos in the Old World


Daniel iniciou sua amiga com Blokus e depois a envolveu num clássico para não gamers, Stone age, juntamente com um alemão legitimo (ouviu Peter) amigo da Fabi, Simon. Amigos digam os nomes dos seus respectivos convidados.

Daniel acolhendo nossos vistantes com Stone Age, voltem sempre.

THE SPEICHERSTADT
2 a 5 jogadores / +10 / 45 min

"Seja um dos atacadistas de Hamburgo no auge do Speicherstadt (um grande distrito de armazéns). Quem conseguir as melhores ofertas dentro de um ano e fornecer a seus clientes os produtos certos será o vencedor do jogo. Mas cuidado! incêndios repentinos podem causar grandes perdas. Você poderá ser aconselhado a investir em proteção contra incêndio logo no início da partida."



Algumas pessoas já deixavam o Spoleto e fomos terminar a noite com um jogo mais leve. Enfim um jogo mais leve. The Speicherstadt jogo que tem um leilão super criativo com alocação de trabalhores na tentativa de consegui comprar as cartas desejadas. Nestas cartas encontramos produtos vindos em navios, armazéns,
contratos e os fundamentais bombeiros. Fundamentais porque a cada fase (a,b e c) entram cartas de incêndio que são imediatamente resolvidas, neste momento o jogador que tiver menos bombeiros perde pontos de vitória enquanto quem tem mais bombeiros ganha os pontos de vitória relacionados com cada etapa. Ou seja,
na fase a = 1 ponto, b= 2 pontos, c= 3 pontos, e no final da partida acontece um ultimo incêndio de valor 4. Difícil obter uma boa colocação neste jogo sem a ajuda dos queridos bombeiros. Quase tive que compartilhar a vitória com Peter, massss venceu o mais endinheirado: eu! Ufa! Salva pelos Florins! Fiquei feliz de cara porque neste jogo não e possível levar voltinha...

Fabi, Filipe e Peter apagando incêndios.
Retiramos-nos, felizes, com a sensação de lazer cumprido enquanto ainda rolava uma última mesa. O queridinho Luna, que fora abordado aqui na última quinta, com a presença de nada mais nada menos do que o Caldas.

Caldas chegou atrasado mas ainda a tempo de uma boa partida.
Transmissão encerrada! Mas vou aproveitar o post para dar as boas vindas aos nossos queridos Victor e Warny que acabaram de chegar de Essen cheios de jogos fresquinhos... Aguardem mais informações!

21 de out de 2011

Thurn and Taxis - Parte II

Adquiri, há um bom tempo atrás, o Thurn and Taxis com sua expansão, “Todos os caminhos levam a Roma”. Na época, ainda iniciante, me preocupei apenas com o jogo base, apenas dando uma breve olhada na expansão, mas sem me aprofundar, até porque as regras estavam em alemão e seria um desafio para o futuro.

No entanto, como a maioria de vocês sabem, conforme o tempo passa, jogamos menos o mesmo jogo e mais jogos diferentes, pela sede de conhecer coisas novas. Com T&T não foi diferente, acabou ficando de lado. Mas, recentemente, alguns amigos o puxaram para a mesa e me fizeram lembrar que eu tinha uma expansão ainda não explorada. Fui pela primeira vez procurar suas regras e descobri que elas só estavam disponíveis no original alemão e em inglês. Foi então que me motivei a traduzi-las para o português e disponibilizar a todos. E para aproveitar, escrevi esse review do jogo base e da expansão. O post está dividido em duas partes para melhor leitura. (leia a parte I aqui.)

THURN AND TAXIS – TODOS OS CAMINHOS LEVAM A ROMA

O que é:
Expansão lançada em 2008 que na verdade contém duas expansões, que podem ser usadas juntas, ou uma de cada vez, juntamente com o jogo base.
A primeira chama-se “A Audiência”, e num tabuleiro a parte, as carruagens de cada região devem levar seus clérigos para uma audiência com o Papa, ganhando pontos de vitória.
A segunda, que podemos chamar de “Agentes de Honra”, acrescenta novos tiles aos jogo base que podem ser revertidos em favores extras que vão de cartas a pontos de vitória.

Curiosidades:
É a segunda expansão do jogo, precedida por “Poder e Glória” (que traz um novo tabuleiro).

Criadores:
Mantém-se o trio Andréas Seyfarth, Karen Seyfarth e Michael Menzel.

Outras informações:
2 a 4 jogadores
Idade acima de 10 anos
Tempo médio de 60 minutos

Abrindo a caixa: componentes
Componentes (BGG)
Expansão 1:
-1 tabuleiro de jogo com várias estradas para Roma.
-20 tiles de audiência com 5 clérigos diferentes nas quatro cores de cada jogador.
-5 carruagens com as cores dos países.

Expansão 2:
8 tiles de “Postmaster”                                   
8 tiles de “Postal Carrier”
6 tiles de “Administrator”                              
4 tiles de “Cartwright”
12 fichas de Pontos de Vitória                     
4 tiles de resumo

A arte primorosa do jogo base é mantida pelo talentoso Menzel, assim como a qualidade dos componentes.

Regras:
Expansão 1:

Cada jogador pega 5 tiles de audiência na sua cor. Cada jogador, secretamente, atribui cada um dos seus tiles de audiência a cada carruagem e coloco-as virados para baixo no espaço de passageiros para as carruagens  escolhidas. Durante o jogo, os jogadores não podem verificar quais tiles foram postos em qual carruagem, é preciso memorizar.

Quando um jogador fecha uma rota, em adição a pontuação (colocando casas, coletando peças bônus, etc), ele também pode mover uma ou mais carruagens. Para cada carta de cidade na rota fechada que não foi colocado Posto de Correio (casa), o jogador deve mover a carruagem correspondente para uma cidade a mais em direção a Roma. Tal como no jogo básico, o jogador deve colocar todas as casas que lhe é permitido, embora ele possa escolher entre as opções normalmente. Ele não precisa escolher a maioria das casas. Isto se aplica quando um jogador não coloca uma casa devido às regras colocando (todas as casas em um país ou uma casa em cada país) e quando ele poderia colocar uma casa, mas já tem uma nessa cidade.

Os jogadores devem sempre mover as carruagens na direção sul. Quando uma cidade tem várias saídas para o sul (por exemplo, Andechs tem 2 e Florenz tem 3), o jogador decide que caminho a carruagem tomará (desvios ocidental ou oriental são permitidos, desde que a estrada vá, pelo menos, um pouco ao sul).

Quando uma carruagem chega a Roma, uma carta de cidade dessa carruagem é considerada um coringa e o jogador deve mover outra carruagem em direção a Roma. O mesmo se aplica quando Lodz (Polônia) provoca o movimento.
Quando um jogador tem que mover várias carruagens, ele pode escolher a ordem (carta de cidade) a vontade.

Quando uma carruagem chega a Roma, o jogador vira os tiles de audiência das carruagens e os coloca virados para cima nos espaços apropriados dos clérigos. Vários tiles de audiência podem estar no mesmo espaço. Se o espaço de um clérigo já está ocupado quando a carruagem chega, o jogadore remove os tiles de audiência de um espaço do jogo, cololando de volta na caixa.

Para cada tile de audiência no espaço de audiência no final do jogo, o jogador adiciona o valor de pontos do tile aos seus pontos de vitória. O jogador com mais pontos de vitória é o vencedor.

Clérigos em audiência com o Papa. (BGG)

Expansão 2:

Cada vez que um jogador usa o apoio de um Agente, ele pega o tile correspondente para si. Exemplo: no primeiro turno, cada jogador pega 2 cartas de cidade usando a ajuda da
Postmaster. Assim, cada jogador pega também um tile de "Postmaster".

Assim que um jogador pega o último tile de um Agente, todos os jogadores devem devolver tiles de agentes. Começando com o jogador da vez e continuando no sentido horário ao redor da mesa, cada jogador deve devolver de 1-4 peças diferentes para o suprimento, mas não precisa devolver tudo de uma vez. Para:

1 tile devolvido: o jogador não ganha nada.
Nota: se um jogador não tem tiles, ele não retorna nenhum e não ganha nada.
2 tiles devolvidos: o jogador pode pegar uma carta aberta do tabuleiro ou uma fechada do monte de compra.
3 tiles devolvidos: o jogador leva um tile de ponto de vitória.
4 tiles devolvidos: o jogador pode colocar uma de suas casas no tabuleiro do jogo.

Nota: ao construir uma casa, o jogador pode pegar um tile de bônus ganho normalmente e imediatamente. Se um jogador coloca uma casa dessa e é a última, o jogo termina como se fosse um turno normal. O jogadores retornaram os tiles de volta nos lugares apropriados no tabuleiro de jogo. Se depois do retorno, ainda tiver algum Agente sem nenhum tile  sobre o tabuleiro, os jogadores executam uma nova devolução. Isso continua até que cada Agente tenha ao menos um tile cada. Em cada round, o jogador deve retornar ao menos 1 tile, caso haja. Não precisa devolver todos, pode guardar para usar no futuro, obtendo uma troca mais valiosa.

Após o fim do jogo e antes de pontuação final, cada jogador pode realizar uma troca de tiles finais para ganhar um ponto de vitória ou colocar uma casa se ​​possível.

Tiles do agentes postais, pontos de vitória e carta resumo. (BGG)
Confira a regra completa antes de jogar. Faça o download da regra completa traduzida para o português aqui.

Comentários:
“Todos os caminhos levam a Roma” é uma dupla expansão que eleva o nível de Thurn and Taxis de um jogo para iniciantes para um jogo disputado em que cada ação conta e será preciso toda sua estratégia e jogo de cintura para contornar as suas ações.
O jogo passa a ter uma interação maior entre os jogadores quando suas ações interferem nas dos outros, seja movimentando a carruagem com os clérigos, seja na devolução dos tiles. Tudo precisa ser muito bem calculado para ser usado no momento certo. Sem dúvida é uma aquisição fundamental junto ao jogo base.

Se ficou interessado em obter tanto o jogo quanto as expansões, veja também o Big Box que inclui todos os jogos em uma única caixa:
Caixa da "Big Box": jogo base mais todas as expansões. (BGG)

Thurn and Taxis - Parte I

Adquiri, há um bom tempo atrás, o Thurn and Taxis com sua expansão, “Todos os caminhos levam a Roma”. Na época, ainda iniciante, me preocupei apenas com o jogo base, apenas dando uma breve olhada na expansão, mas sem me aprofundar, até porque as regras estavam em alemão e seria um desafio para o futuro.

No entanto, como a maioria de vocês sabem, conforme o tempo passa, jogamos menos o mesmo jogo e mais jogos diferentes, pela sede de conhecer coisas novas. Com T&T não foi diferente, acabou ficando de lado. Mas, recentemente, alguns amigos o puxaram para a mesa e me fizeram lembrar que eu tinha uma expansão ainda não explorada. Fui pela primeira vez procurar suas regras e descobri que elas só estavam disponíveis no original alemão e em inglês. Foi então que me motivei a traduzi-las para o português e disponibilizar a todos. E para aproveitar, escrevi esse review do jogo base e da expansão. O post está dividido em duas partes para melhor leitura. (leia a parte II aqui.)

THURN AND TAXIS

O que é:
T&T é um jogo de 2006 que recria a Europa, mais precisamente a Bavária, de 1490, quando Franz von Taxis iniciou a rede postal européia.

Os jogadores devem disputar a supremacia da rede postal, tentando conectar o maior número possível de cidades com postos de correios. Aquele que obtiver o maior número de pontos de vitória é o ganhador.

Curiosidades:
A casa principesca de Thurn e Taxis (Das Fürstenhaus Thurn und Taxis, em alemão) é uma família alemã que desempenhou um grande papel no serviço postal na Europa durante o século XVI, sendo hoje bastante conhecida por ser proprietária de cervejarias e construtora de inúmeros castelos. [fonte: Wikipédia]

Conheça mais sobre a família e o museu em seu site, que inclui uma loja com souvenirs e exemplares dos jogos: http://www.thurnundtaxis.de/en

Loja de souvenirs do museu Thurn and Taxis. (BGG)
Criadores:
Andréas Seyfarth, boardgame-designer alemão, é criador também de Puerto Rico e San Juan.
Karen Seyfarth, esposa de Andreas, é boardgame-designer de Thurn and Taxis
Michael Menzel é o artista responsável pelo lindo design de Thurn and Taxis, além de Atlantis, Cable CarCuba, Dominion, In The Year of The Dragon, The Pillars of the Earth, The Settlers of Catan, Stone Age, entre muitos outros. (Sou fã confesa! O blog E ai, tem jogo? fez uma entrevista com ele em 2009. Leia aqui.)
Para saber mais sobre o processo de criação do design do jogo, clique aqui. (texto em alemão).
Karen e Andréas Seyfarth (BGG)

Outras informações:
2 a 4 jogadores
Idade acima de 10 anos
Tempo médio de 60 minutos

Abrindo a caixa: componentes
1 tabuleiro
Componentes (BGG)
80 Casas de madeira (Agência Postal) (20 de cada cor, amarelo, vermelho, verde, azul)
4 Cartas da Empresa
20 Cartas de Carruagem (4 de cada valor: 3, 4, 5, 6 e 7)
66 Cartas de Cidades (3 de cada das 22 Cidades)
30 Tiles de Bônus (4 rota de 7, 3 rota de 6, 2 rota de 5, 4 fora de Baiern ou “Ausserhalb Baiern,” 4 Baiern, 3 Baden, 3 Wurttemberg/Hohenzollern, 3 Schweiz/Tyrol, 3 Bohmen/Salzburg, 1 “Spielende”)
4 Cartas Resumo
1 Livro de Regras

A arte, tanto do tabuleiro quanto das cartas, é muito primorosa. O tom envelhecido atribuído ao mapa, as vestimentas dos personagens, as lindas carruagens, tudo nos remete a época em que se passa o jogo. Detalhe para os desenhos das cidades que contém elementos arquitetônicos reais. Os componentes são de ótima qualidade e acabamento, incluindo o verso do tabuleiro que tráz o brasão da família Thurn and Taxis impresso.

Regras:
O funcionamento do jogo é bem simples. A partir do startplayer, cada jogador terá até 3 ações em seu turno, que devem ser feitas sempre na mesma ordem:
1º comprar uma carta de cidade, da mesa ou do monte de compras. [Exceto com o auxílio do Postmaster que poderá comprar 2 cartas]
2º baixar uma carta para a sua rota. A carta deve sempre entrar a esquerda ou a direita das cartas que já estão na mesa. Nunca se pode colocar uma carta no meio. [Exceto com o auxílio do Coachman que poderá baixar 2 cartas]
3º fechar uma rota e pontuar. O jogador deverá agora colocar as casas nas cidades que pertencem a sua rota, e deve fazer uma escolha: ou colocar uma casa em uma cidade de cada região diferente ou escolher uma região e colocar casa em todas as cidades dessa região. Lembrando que somente nas cidades que pertençam a rota que acabou de fechar.


Sobre a construção de rotas, o jogador é obrigado a construir em toda a rodada, caso ele não possua nenhuma carta que complete sua rota, deve se desfazer de toda ela e começar uma nova no próximo turno. Sempre que concluir uma rota, o jogador não poderá ter em mãos mais do que 3 cartas, devendo se desfazer das sobressalentes caso hajam.

Existem no jogo 4 Agentes dos Correios para auxiliar o jogador, que podem recorrer a apenas um deles por turno.
Postmaster: permite que compre 2 cartas ao invés de uma.
Coachman: permite que baixe 2 cartas ao invés de uma na sua rota.
Bailiff: permite que mude todas as seis cartas abertas sobre o tabuleiro antes de efetuar sua compra.
Wainwright: permite que eleve, virtualmente, o número de sua rota para poder pegar uma Carta de Carruagem de valor maior.

Cada jogador terá 20 Agências para distribuir pelo tabuleiro, a fim de dominar o máximo possível toda a região. Cada região (veja pela cor no mapa: rosa, verde, azul, cinza, laranja e vermelha) atribui um tile de ponto de vitória quando completamente dominada, ou seja, quando o jogador tiver uma Agência Postal em cada cidade da região. Exemplo: O jogador azul conseguiu colocar uma agência em Mannheim, Carlsruhe e Freiburg, completando toda a área rosa de Baden. Imediatamente ele pega para si o tile correspondente rosa com os pontos de vitória.

O jogador só adquire pontos de vitória fechando uma rota, que deve ter no mínimo 3 cidades. Quando o faz, deve colocar as casas na cidade correspondente e verificar se pode pegar tiles de pontos, que são:
tiles de região: coloridos na mesma cor da região, é preciso ter presença em todas as cidades. Observe que alguns tem duas cores, exemplo azul claro e azul escuro, é preciso ter casa nas duas regiões.
tiles de rota: rotas de 5, 6, 7 ou mais cidades também ganham pontos bônus.
tile todas as regiões: aquele que conseguir ter ao menos uma agência presente em cada região do tabuleiro ganha esse tile especial.
tile da vitória: aquele que for o primeiro a conseguir a Carruagem 7 ganha este tile que dá 1 ponto de vitória e é critério de desempate.

Carta Carruagem: conforme o jogador fecha uma rota, deve pegar para si uma carruagem que lhe confere pontos de vitória. Atenção: para adquiri-la é preciso ter feito a rota com o número mínimo de cidade equivalente a carta, isto é, uma rota de 3 cidades equivale a Carruagem 3, uma rota de 4 cidades equivale a Carruagem 4, e assim por diante. Porém, e isso é importante, se o jogador realizou a rota 3 e pegou a Carruagem 3, e em seguida, realiza a rota 5, deve pegar a Carruagem 4! Sempre na ordem. Se depois realizar a rota 4, não poderá pegar a Carruagem 5, exceto se ele pedir a ajuda do Wainwright que virtualmente elevará sua rota para 5. Isso só funciona para a carruagem, não serve para o tile de rota bônus.

O jogo termina quando algum jogador usar todas as suas casas ou quando alguém pegar a primeira Carruagem 7. Caso isto ocorra, os jogadores entre ele e o startplayer terão a oportunidade de fazer uma última jogada, podendo também adquirir uma Carruagem 7 para si.

Confira a regra completa antes de jogar. Faça o download da regra completa traduzida para o português aqui.
 
Comentários:
T&T é um ótimo jogo pra quem está começando a conhecer os eurogames ou já conhece alguns. Seu mecanismo é simples e de fácil compreensão. Muitas vezes é comparado com o Ticket to Ride, mas em termos de mecânica, T&T é um pouco superior ao TTR. Essa complexidade aumenta consideravelmente quando jogado com suas expansões, elevando a qualidade do jogo e passando a ter mais opções de estratégias para a vitória.

É um bom jogo para se ter na sua coleção, principalmente se seus amigos formam um grupo misto (entre iniciantes e experientes). Além do tabuleiro, existem duas versões para se jogar online (BrettspielWelt e Yucata).

18 de out de 2011

Jogatina de Sábado - o "Drama" das Cadeiras

Como já vem se tornando comum nas últimas semanas, o pessoal tem marcado quase sempre uma joga aos sábados, nos intervalos dos eventos mensais (Torre e Castelo). Essa semana foi na casa da Lu, que quase entrou em desespero ao ver que a lista de convidados crescia a olhos vistos, tomando as proporções de evento mesmo. O grande temor era não poder comportar tantos jogadores em sua casa. Mas o drama não foi justificado, pois conseguimos colocar um sistema de horário para coordenar as mesas, praticamente uma dança das cadeiras e assim, ninguém ficou sem banquinho. Na próxima, vou pedir pra cantarem: "A Lu avisou, você se atrasou, pegue o seu banquinho e saia de mansinho!" (livre adaptação).


Mas vamos voltar ao que interessa. A galera fiel, como sempre, chegou cedo e já caiu dentro das setes maravilhas.

7 WONDERS
2 a 7 jogadores / +10 / 30 min

Estavam na mesa Daniel Balard com o Colosso de Rodes, seu amigo Victor "Squit" com a Grande Pirâmide de Gizé, Eduardo com a estátua de Zeus em Olimpia, Leandro com o Mausoléu de Halicarnasso, Gian com o Farol de Alexandria e Luciana com os Jardins da Babilônia.


Daniel venceu com uma ótima pontuação este jogo que acaba de vencer em 5 categorias o Prêmio JoTa (principal prêmio brasileiro do ramo).
Colocação:
Daniel 63 pontos
Victor Squit 58 pontos
           Eduardo  46 pontos
           Leandro 41 pontos
           Gian  41 pontos
           Luciana 18 pontos

WINNER'S CIRCLE
2 a 6 jogadores / +10 / 60 min
Em seguida, investiram seus suados dinheiros nos rebeldes cavalos do Jóquei. Daniel fechou dobradinha de vitória com um corpo de vantagem sobre Leandro, que ficou a uma cabeça de vantagem sobre Victor. Na último pelotão estavam Luciana e Gian.
Colocação:
Daniel $2500
Leandro $1500
           Victor $1150
           Luciana $650
           Gian $400

OS COLONIZADORES DE CATAN
3 a 4 jogadores / +10 / 60 min

Depois de meses de desaparecimento, e uma bela de uma intimação judicial, Fabi resolveu aparecer para rever os amigos, e terminar de viciar seu irmão Vinícius nos jogos de tabuleiro. ( O menino sofreu lavagem cerebral por uma semana e vai voltar pra Minas falando um monte de nomes esquisitos como Catan, Carcassone, Dixit... para estranheza dos amigos.) Peter também chegou pra fechar a mesa na disputa e conquista da supremacia na ilha de Catan.

Colocação:
1º: Peter
Fabiana
           Vinícius

COLONIA– 1322 A.D.

3 a 6 jogadores / +12 / 120 min

Quando cheguei, Leandro ensinava Colonia para um grupo, e Lu ensinava Golden City para o outro. Acabaram me arrastando para este último.
Tive a impressão de que a explicação do Colonia estava bem mais longa do que o normal, e o jogo com cinco pessoas também, mas menos do que eu imaginava que fosse.  A disputa foi acirrada entre os convidados Edu e Victor, mas este levou a melhor. Daniel que parecia ir bem, acabou em terceiro, Gian, show de bola, ficou em penúltimo, e o dono do jogo (que ultimamente fica mais pentelhando as mesas alheias do que prestando atenção à sua) ficou em último.

Tabuleiro no final do jogo. (foto by Victor Cardoso)
Edu e Leandro, caras de decepção com os resultados.  (foto by Victor Cardoso)
Colocação:
Victor 11 pontos
Edu 10 pontos
           Daniel 10 pontos
           Gian 8 pontos
           Leandro 6 pontos


THE GOLDEN CITY
3 a 4 jogadores / +10 / 60 min

De longe os aventureiros chegaram à ilha com a cidade dourada no seu centro. Recém-chegados abriram a primeira loja diretamente na costa. Já é possível abrir outras em aldeias ao longo das ligações de ruas. Vale a pena, pois através delas você terá bens, chaves, dinheiro e concessões que você precisará para ficar à frente. E, finalmente, o primeiro é capaz de estabelecer-se na Cidade de Ouro e obtendo, assim, os mais preciosos contratos de comércio.


Lu, Fabi, Vinícius e Peter estavam prestes a começar o jogo, e como o Vinícius é novo no ramo, acabei entrando pra fazer setup e assessorá-lo, só pra não ficar de bobeira durante uma hora. Jogo interessante de colocação de casas e recolher cartas com benefícios para ganhar pontos de vitória. Como muitos jogos, também tem cartas especiais de objetivos (como Strasboug, Ticket to Ride, entre tantos outros), e elas sempre valem a pena. Outra estratégia importante é dominar dois terrenos cortados por um rio, e tentar ter o maior tipo possível de especiarias. São importantes pontos que se acumulam rodada a rodada que podem fazer diferença no final, e não apenas os pontos do centro da cidade. Fiquei na vontade de jogá-lo mais um vez, mas desta vez valendo ^-^.


Tabuleiro e componentes. (BGG)
Fabi surpreendeu com uma ótima pontuação, deixando Vinícius para trás com a segunda. Mas esse menino tem futuro, bom raciocínio e capacidade de se adaptar as situações mesmo quando saem da sua estratégia inicial. Peter e Lu vieram em seguida na colocação.

Colocação:
Fabiana 85 pontos
Vinícius 66 pontos
           Peter 60 pontos
           Luciana 56 pontos


DIXIT
3 a 6 jogadores / +8 / 30 min

A pedido da própria Lu, levei mais uma vez o Dixit. Estava sentindo que rolava um temor psicológico ali. Mas entre o temor e a psicóloga, ficamos foi com as risadas mesmo. Leandro veio pentelhar e cobrar a patente das suas frases de efeito, dando trela pro Peter abrir outra rodada com o nome dele, mas não teve o mesmo efeito que da semana passada. Depois da rodada besteirol, ele sacou "Todo homem tem por natureza a busca pelo saber." Nada como um pouco de filosofia para criar um caos na mente dos adversários. Luciana se desesperava por não poder ganhar o jogo na base da argumentação (recurso que ela utiliza muito nos outros até nos ganhar pelo cansaço), Fabi estava numa serenidade ímpar, os ventos de Niterói estão fazendo bem a ela. Vinicius era o atrapalhado em pessoa até sair com essa: "Justiça". A carta era a mais óbvia, a da balança, mas o inusitado foi a explicação dele no final: "Achei que só fã de Disney ia entender."

Usamos mais uma vez a variante que permite ao Narrador também participar. Muito boa, sempre arranca risos, principalmente quando de aleatória a carta nada tem.
Pra variar, nesse jogo fiquei em último, e Fabi fez dobradinha de vitória. ;)

Colocação:
Fabiana 33 pontos
Peter 24 pontos
           Luciana 18 pontos
           Vinícius 18 pontos
           Renata 17 pontos



POWER GRID: FACTORY MANAGER
2 a 5 jogadores / +12 / 60 min

Cada jogador tem uma fábrica e deve ganhar o máximo dinheiro possível durante o jogo. Para ser bem sucedido, o jogador deve usar seus trabalhadores para comprar as melhores máquinas e robôs no mercado e usá-los da melhor maneira possível na fábrica. Por causa do valor crescente do custo de energia, o jogador deve cuidadosamente administrar o consumo de sua fábrica e evitar usar somente as máquinas com consumo elevado, ou verá seus lucros repentinamente sumirem!


Com o término dos dois jogos, Peter, Fabi e Vinícius foram embora, Tati chegou e redividimos as mesas, o que foi uma tarefa bem dificil. Não consegui impor meu desejo de jogar Discworld porque tinham duas viciadas em Power Grid (Lu e Tati) querendo conhecer o Factory Manager. Antes de mais nada, o que mais foi dito na sala: "não tem nada a ver com o PG! Usaram apenas o nome para lincar os jogos, mas é totalmente diferente." Mesmo assim elas resolveram encarar, junto com o Leandro, e deve ter sido bem "funde cuca" porque terminaram a partida cansados. Vitória da Tati com uma leve vantagem sobre Leandro e Lu que ficaram mais próximos.

Componentes. (BGG)
Colocação:
Tati 220 pontos
Leandro 211 pontos
           Luciana 209 pontos


KARNAXIS
1 a 6 jogadores / +12 / 60 min

Um jogo da vida com muita estratégia, cujo objetivo é se tornar o mais bem sucedido financeiramente. Candidate-se a empregos, entre para a faculdade, abra uma empresa, administre as ações da bolsa, pense no seu futuro com a aposentadoria, mas cuidado com os eventos e infortúnios que a vida pode apresentar.



Eu fui abduzida, sem mais chances de escolha pra mesa do Karnaxis, que tem um nome super atrativo (me remeteu ao Templo de Karnak, mas não tem nada a ver), um visual que deixa MUITO a desejar e ainda me descreveram como "é um jogo da vida, você vai gostar!"        Pausa.     Primeiro que qualquer coisa, em qualquer contexto que alguém fale que eu vou ou não gostar, já fico com o pé atrás. É como quando dizem: "é a sua cara", e você acha horrível, então conclui que tem uma cara horrível. Mas enfim, já que eu não tinha escolha, não julguemos o livro pela capa e vejamos a que veio esse tal de Karnaxis.

Foi então, que diante do meu olhar torto, o Gian contou a história do jogo. Ele não é muito conhecido, nem muito prestigiado, e o Fel o encontrou em uma de suas buscas por jogos alternativos (bons jogos que não ganham fama mas que merecem mesa):

"Eu o achei por acaso em uma dessas fuçadas, com uma propaganda do tipo "Game of Life done right." E vi mecânicas que me interessavam bastante como gerenciamento de recursos, objetivos assimétricos, stock market." (Fel Barros)

Ao entrar em contato com o designer do jogo, descobriu que era o primeiro brasileiro a se interessar em adquiri-lo, e acabou trazendo 3 unidades pro Brasil. A primeira partida do jogo em terras tpiniquins se deu com os distintos Fel, Gian, Lu e Tony. E se não estivermos errados nas contas, a desse último sábado foi a terceira. Fica a dica de que sempre vale a pena garimpar novos nichos e descobrir novos autores.

Detalhe superior do tabuleiro com as ações, cartas de eventos (ruins) e karnaxis (boas). (BGG)
Mas voltemos a esta partida. No início, você precisa escolher um personagem que definirá seus quatro atributos iniciais, poderá ou não te dar um poder legal e ainda te dará seu objetivo de jogo. O meu personagem me dava $10.000 de desconto nos impostos, o que se revelou ser uma maravilha. Meu objetivo era ser o Coletor de Impostos e jamais, em tempo algum, pegar empréstimo com o banco. Fica difícil definir qual personagem escolher quando não se conhece o jogo ainda, mas resolvi investir nesse.
O jogo se passa em 12 turnos / anos de vida, e logo de cara todo mundo pegou empréstimo! Entrei em pânico! Se já começava assim, como é que eu ia sobreviver? O jeito era pegar um trabalho, mesmo que fuleiro, pra pagar as contas. Gian pegou o "Coletor de Extrume" e eu fui de "Zelador". Vários trocadilhos, inclusive da outra mesa de ouvido na nossa, pra sacanear-nos. Receber salário é bom, mas achei que me prendia muito, pois você gasta uma ação pra manter o emprego. Abdiquei de ser zeladora e fui ter meu próprio negócio (que não lembro qual era, era bem meia-boca, mas fiz uma propaganda pra melhorá-lo um pouquinho). Gian acabou pegando meu trabalho, todo feliz que tinha subido na carreira (mais piadas). E eu atacando o seguro desemprego! Do outro lado do escalão social, Daniel se encaminhava para a medicina, e Edu era policial/mecânico (?). Muito evoluido os dois.

Daniel, Edu (costas), Renata e Gian tentando se dar bem na vida. (foto by Lu Azevedo)


Depois de um tempo começamos todos a investir na bolsa de valores, que a cada ano deve ter seus valores atualizados pelos dados (-2, -1, +1, +2). Minha mão santa só dava número negativo. Só pro Daniel saia positivo. Fali a empresa do Gian umas três vezes, coitado, e a do Edu também. Mas quando as ações pretas estavam em alta, todos se aproveitaram pra fazer um dinheirinho. Como nem só de presente se vive, investi nos três últimos turnos na aposentadoria, mas devia tê-lo feito antes, pois o retorno é muito bom.
 
Renata e seus dados amaldiçoados! (foto by Lu Azevedo)

Contagem final da bufunfa, Gian sempre faz aquele charminho de deixar o valor dele por último, mas não teve vez, meu combo de personagem com Coletor de Impostos me fez deixar de gastar muito dinheiro. Os meninos ganhavam muito e devolviam metade em impostos. E o resultado nem eu esperava.

Colocação:
Renata $704
Gian $664
           Dani $594
           Edu $496

BOHNANZA
2 a 7 jogadores / +8 / 45 min

Com a noite já alta, Leandro partiu e Tati pediu pra jogarmos Bohnanza de despedida. Pelo visto ela queria a revanche pelo Peter ter ganhado por 1 ponto na última vez. Simbora pra mesa de feijões, só o Edu não conhecia ainda, e, ô jogador dificil! Só faltou o Marcos Felipe ali pra azucrinar também. Ele criou uma nova categoria de negociações, "aceito seu feijão e em troca te dou um abraço!" Ninguém merece ¬¬"

Mas foi de abraço em abraço que ele conseguiu sua vitória, entre outras lambanças do Gian que liberava as cartas e depois via que tinha feito péssimo negócio, tsc tsc.

Colocação:
Edu 15 pontos
Gian 13 pontos
           Renata 12 pontos
           Tati 12 pontos
           Luciana 10 pontos



AFLUENTES
2 a 4 jogadores / +12 / 20 min

Um filete de água brota do subterrâneo e inicia seu caminho até o mar. Em Afluentes, os jogadores criam cursos d’água, ­enfrentando os problemas causados pela ação nociva e irresponsável das cartas dos adversários. Quem fizer mais pontos com águas limpas, livres de problemas ambientais, e afluentes vence o jogo.


Todos já tinham partido e como estava muito tarde e chovendo, acabei ficando na casa da Lu mesmo, pra voltar pra Nikity de manhã. Duas viciadas de bobeira não vão dormir a uma da manhã, então, a Lu topou meu convite de conhecer o Afluentes, jogo de cartas do amigo Luish Coelho de BH que está entrando no mercado internacional agora com o Recicle. Tinha comprado o jogo em março, minha caixinha numerada e autografada, mas ainda não tinha conseguido jogá-lo. Essa era a chance. Lemos as regras, um pouco grande, pois se repete algumas vezes, mas deu pra enteder bem, somente algumas dúvidas surgiram ao longo do jogo mas recorremos a elas novamente e beleza.

No Afluentes, nós temos um set de cartas com lençóis freáticos, nascentes, rios e mares, cartas que poluem ou causam destruição e as cartas que resolvem esses problemas. Temos que tentar fazer a maior quantidade de pontos criando as cadeias do lençol ao mar, e atrapalhar a evolução do adversário. Depois concluimos que esse é um jogo MUITO cruel, os males que o ser humano causa ao meio ambiente são tão desastrosos que corrigi-los torna-se muito dificil. É claro que essas reflexões não vieram as 2:30 da madrugada, mas deu pra sentir na pele o que é ser um rio poluido.

Parabéns ao Luish pela criação e pelo toque de consciência e sucesso com seus projetos!

Colocação:
Luciana 29 pontos
Renata 24 pontos

Fim de noite, era inicio de horário de verão e vimos que tinhamos perdido mais uma hora de sono, mas o dia tinha valido a pena, apesar da chuvinha chata que está teimando em cair aqui no Rio. 
Até a próxima dança das cadeiras! ;) 
Inté!

17 de out de 2011

Dando uma "voltinha" pelo Spaghetti

Por Luciana Azevedo


 Nesta quinta-feira passada o Spaghetti das Peças começou debaixo de uma fina chuva que insistia em cair na cidade, assim como hoje, desmotivando cariocas, fluminenses e agregados a saírem de casa. Mas esta que vos fala (escreve) não se abalou com isso e saiu do trabalho rumo a saciar seu doce recente vício, os jogos. Lá, percebi que outros também não se abalaram. 


HORUS HERESY
2 jogadores / +13 / 135 min

 "Horus Heresy é um jogo de tabuleiro que coloca dois jogadores um contra o outro para recriar a batalha mais famosa da rica história do Warhammer 40.000, na qual a traição do Warmaster Horus ao Imperador chega ao seu clímax. Os jogadores controlam um espantoso conjunto de unidades, incluindo o próprio Imperador e Horus. Irmão contra irmão, o universo está em jogo!"

Logo que cheguei encontrei nossos colegas de quinta passada jogando o mesmo lindo jogo, Horus Heresy. E desta vez, me parece, que chegaram mais cedo e saíram mais tarde, pelo que foi apurado eles fizeram duas partidas e volto a dizer, que jogo lindo! Ainda mais para estes olhinhos aqui que vivem imersos num mar de cubos! 

Dupla dinâmica, sempre no Horus.
 


LUNA
1 a 4 jogadores / +12 / 90 min

" "Luna" é o nome da Sacerdotisa da Lua, e perante seus próprios olhos, cada uma das quatro Ordens competem pelo direito de decidir sobre seu sucessor. Os jogadores são os líderes das Ordens que tentam convencer a Sacerdotisa. Ao longo de seis rodadas, eles precisam recolher o máximo de pontos de influência, usando seus noviços para alcançar este objetivo."


  

Também estavam presentes Filipe, Leandro, Thais e Eduardo Felipe. Enquanto selecionávamos um bom jogo para cinco pessoas, meu futuro carrasco Bouzada chegou. Duas mesas foram criadas: Dominant Species com o corajoso grupo Bouzada, Thais, eu e Peter. Peter não teve nem escolha, chegou atrasado e foi abduzido para a luta entre diferentes espécies animais numa terra a margem da grande era glacial! 

Na segunda mesa, os demais desbravadores jogavam-se ao mar em busca de construir e trabalhar nos novos templos e recrutar noviços a fim de ganhar o favor dos sacerdotes locais. Venceria aquele que obtivesse mais pontos de influência com a Sacerdotisa: Luna.
O jogo terminou com a vitória de Filipe que de forma estreita e apertada conseguiu vencer acumulando mais pontos de influência!

 TALUVA
2 a 4 jogadores / +10 / 40 min 

"Jogo tático de colocação de tiles em uma ilha do pacífico. Jogadores expandem suas vilas, criam templos e fazem a ilha crescer para os lados e para cima."

Mais tarde outro Eduardo iniciava uma mesa de Taluva juntamente com Caio e Fábio. Jogo que andava sumido das mesas deste evento, mas que timidamente tem voltado a encantar os gostos por aqui. Ainda puxaram duas partidas. Distribuindo uma vitória para Caio e outra para Edu. Não foi desta vez Fábio!

Edu (verde) comandando a mesa do Taluva.

  
Taluva havia acabado e puxaram outro jogo, Caylus, que não pode ser registrado, porque esta blogueira por um dia estava desesperada tentando perpetuar seu espécime por entre as adversidades de um mundo selvagem que vai ficando cada vez mais apertado com a presença e a dominância cada vez maior de seus adversários e colaboradores da cadeia alimentar. (ufa!) Caylus acabou com outra vitória de Edu.


AUTOMOBILE
3 a 5 jogadores / +12 / 120 min

"Construa carros de todos os tipos num dos melhores jogos econômicos de Martin Wallace."


Eduardo foi embora e Lep assumiu seu lugar no próximo jogo que puxaram, agora um jogo desconhecido para esta aspirante a blogueira que vos fala, o Automobile. Um jogo que chamou a minha atenção pela mecânica econômica, os desafios de criar sua fábrica, fabricar carros populares ou de luxo e ainda investir em carros que você espera que tenham boa demanda no futuro. Mas, se isso não acontecer, os empréstimos são possíveis e necessários neste jogo! Aliás, a presença de empréstimos é praticamente a marca registrada do autor Martin Wallace e sinal da presença de muita dificuldade financeira durante o jogo. Tamanha foi a crise econômica que Lep perdeu grande parte do seu capital inicial começado a partida com $2.000 e terminando com míseros $970. Leandro terminou com excelentes $3.200, mas Filipe conseguiu a imbatível quantia de $3.600.

Lep, Leandro e Filipe no Automobile.

DOMINANT SPECIES
2 a 6 jogadores /+12 / 180 min

"90.000 aC - Uma grande idade do gelo se aproxima rapidamente. Outra luta titânica pela supremacia global inconscientemente começou entre as espécies animais diferentes.
Dominant Species é um jogo que recria abstratamente uma pequena parte da história antiga: a invasão pesada de uma idade do gelo e o que isso implica para as criaturas que vivem tentando se adaptar à terra lentamente mudando. "


Em Dominant Species tivemos a presença de quatro classes diferentes de animais: Bouzada representando os mamíferos, eu representava os répteis, Thais as aves e Peter lutava como anfíbio. No inicio da partida todos começam numa situação de equilíbrio apesar de suas diferenças evolutivas. O jogo apresenta uma mecânica bem costurada com sua temática, porém, sua representação através dos grandes e velhos cubos tornam a partida bem abstrata. E enquanto vamos dominando a terra, ou seja, invadindo os tiles com nossos cubos, o gelo vai tomando conta do tabuleiro, ou seja, tiles de tundra são colocados sobre tiles que representam diferentes tipos de vegetação e geologia. Nossas doces criaturas vão sendo afetadas pela migração, especiação, ações de adaptação entre outros efeitos causados por cartas escolhidas por cada jogador. O objetivo é conseguir ao longo de inúmeras rodadas acumular mais pontos para o espécime representado.

Thais, Bouzada e Peter no Dominant Species.
A ocupação dos territórios se assemelha ao controle de área de El Grande. Dominant Species é um grande jogo, mas poderia durar menos tempo. Acredito que um bom jogo precisa deixar no final da partida aquela vontadezinha de jogá-lo novamente, o que Dominant deixaria se fosse encerrado em duas horas de jogo, pois na sua terceira hora ele começa a ser desgastante. Tem também um setup chatinho de verificação das dominâncias de cada tile a cada mudança no tabuleiro e recordem-se o jogo se baseia em mudanças no tabuleiro, logo... Salve Bouzada que o fazia com destreza e rapidez!

Detalhes do tabuleiro.

Todas as outras mesas já haviam acabado e a nossa infelizmente ganhou platéia. Digo infelizmente porque minha posição no tabuleiro tornava-se cada vez mais vexatória. Nunca antes na minha história em tabuleiros perdi com uma margem tão grande. E como sei que os meus caros amigos, só estão lendo este post até agora porque esperam que eu diga, ai vai: levei uma volta do Bouzada na pontuação! Não que minha espécie tivesse sido extinta, não foi, mas nesta partida os répteis foram superiores apenas sobre as aves. E estas, ou seja, os cubos verdes, tornaram-se uma inteligência artificial, porque sua representante Thais teve que se ausentar. Perdemos dos anfíbios (Peter) que conseguiram dominar uma quantidade louvável de territórios. Mas, a vitória ficou mesmo para os mamíferos (Bouzada) que além de dominarem a maioria dos territórios, conseguiram presença nas mais 'ermas' condições geográficas. Venceu o mais adaptável! Eu não perdi apenas o jogo, perdi a moral e o meu apelido já em 'desuso' de the legend deu lugar para voltinha!

A nossa querida Rê Palheiros não pode estar presente nesta quinta-feira e por isso eu, a voltinha, fui repórter por um dia do Desbussolados...


[N.E.: Parabéns, Lu, e espero que não seja apenas por um dia, e volte mais vezes à função de repórter, já que está muito mais presente do que eu nas jogas.]