24 de jul de 2011

A Game of Thrones

Sem dúvida o sucesso mais comentado nos últimos meses é “A Game of Thrones” (Guerra dos Tronos), livro escrito por George R. R. Martin em 1996, dentro da saga “A Song of Ice and Fire” (As Crônicas de Gelo e Fogo). Mas por que se tornou assunto?
GoT é o tipo de história que dá margem a vários subprodutos, mas não apenas do tipo merchandising de ocasião, produtos de qualidade que podem caminhar por si próprios dentro de cada seguimento e que contribuiem para o fortalecimento da marca como um todo, o tipo de produto que toda empresa quer, mas nem sempre tem a capacidade de administrar.

Iniciou-se como série literária, ganhou o mundo dos jogos com jogos de cartas, tabuleiro e RPG, e em abril, foi lançada a série de TV pela HBO que trouxe o assunto novamente ao foco. Tão em foco que reviveu a versão boardgame.


1ª. versão



A Fantasy Flight Games lançou a versão para tabuleiro em 2003. Está na lista das curiosidades a serem experimentadas em breve. Mas os amigos gamers de plantão já asseguraram que é um ótimo jogo, e aposto que voltará a ganhar mesa de agora em diante,





2ª. Versão


principalmente porque ontem foi anunciado o lançamento da segunda versão do jogo pela mesma FFG, apostando no sucesso da série e na qualidade do primeiro jogo: “A Game of Thrones: The Board Game Second Edition”.




As seis grandes casas de Westeros devem lutar, derrubando umas as outras, e garantir o domínio exclusivo do continente devastado pela guerra e revoluções políticas. Esta segunda edição inclui elementos das expansões  “A Clash of Kings” e ‘A Storm of Swords”, arte atualizada, melhoria nas regras, e outros adereços. Permite de 3 a 6 jogadores e tem censura de 14 anos.


tabuleiro da 1a. versão

tabuleiro da 2ª. versão

componentes da 2ª. versão


O lançamento está previsto ainda para 2011.

Mais informações sobre os jogos:


Enquanto isso, ainda não tive oportunidade de ler a saga, mas convidei a desbussolada Fabi, nova fã confessa da franquia, para apresentá-la a vocês. Assisti apenas o primeiro capítulo da série, e o tom extremamente violento me afastou um pouco, preciso dar uma segunda chance para ver o que realmente tem de interessante. A segunda parte deste post é uma resenha sobre os livros e a série de televisão para aqueles que querem conhecer mais a fundo o universo de A Game of Thrones. Boa leitura!

Rê Palheiros


RESENHA


Quando a Rê tão carinhosamente me convidou (leia-se intimou) a colaborar com o post sobre Game of Thrones, me senti um tanto preocupada. Afinal, o que eu tenho a passar, a ensinar ou acrescentar a respeito desse assunto que não possa ser simplesmente lido na Wikipédia? Então cheguei à conclusão de que o ideal seria passar minhas impressões de recém viciada nessa “heptologia” (não faço a mínima idéia se existe essa palavra), e tentar convencer o maior número possível de pessoas a também conhecer essa magnífica saga. 

Para começar, vou tentar corrigir o primeiro erro dos iniciantes: Game of Thrones é o nome do primeiro livro e não da coleção completa. Esta se chama “A Song of Ice and Fire” (traduzido aqui no Brasil como “As Crônicas de Gelo e Fogo”), é escrita por George R. R. Martin, e será composta de 7 livros. Será composta porque ainda não está completa!  (Ou seja, você que não gosta de começar a ler séries incompletas, esteja avisado). Até agora são 5 livros publicados, sendo que aqui no Brasil só foram lançados até agora 2 volumes. O terceiro está em pré-lançamento para Agosto.   Só a título de curiosidade, o quinto volume, intitulado  “A Dance with Dragons”, possui 1040 páginas, quase superando sozinho a trilogia do Senhor dos Anéis (ou seja, se você é preguiçoso, também nem comece a ler.. :P). Até agora a saga conta com 4300 páginas, ou em torno disso, dependendo da edição, claro.

Voltando ao assunto principal, eu conheci a coleção através da série produzida e exibida pela HBO neste ano. Estava acompanhando atentamente a série e quando chegou no sexto capítulo, após uma cena magnífica (que não vou dizer aqui para não dar Spoilers, mas posso adiantar que foi protagonizada por Viserys Targaryen e Khal Drogo, e aí quem lê ou assiste saberá do que estou falando), pensei: PQP que cena f..., tenho que saber mais sobre isso!! Preciso saber o que acontece depois, e definitivamente não vou esperar mais uma semana!!!  Quem me conhece sabe que a paciência não é uma das minhas virtudes e por isso, na mesma hora, entrei na internet e comprei os 2 primeiros livros. 

Khal Drogo
Viserys Targaryen

 E então, o vício se instalou!! Para quem gosta de ler, eu super recomendo os livros!! A série da HBO é magnífica, super bem produzida, mas ainda assim não se compara a nossa capacidade de imaginação! Os detalhes do livro são muito mais abrangentes e, na verdade, são de mais fácil compreensão do que pela série, visto que para se adequar ao formato, muitas informações são cortadas ou subentendidas. 

“As Crônicas de Gelo e Fogo”, tem sido muito comparada a “O Senhor dos Anéis”, e, imagino eu, que seja mais por sua proposta de construir todo um novo mundo, com suas espécies diferentes, sua geografia própria e suas próprias diferenças climáticas, do que necessariamente por sua temática. Em “Crônicas”, o nível de fantasia é bem menor e o mundo, com características medievais bem fortes, é bem mais verossímil e mais facilmente compreendido do que na obra de Tolkien. 

A história é bem complexa e tem um alto nível de jogos políticos que tornam as coisas meio difíceis de serem entendidas rapidamente, mas muito interessante. Além disso, por possuir muitos personagens “principais” muitas vezes nos perdemos um pouco. Para mim, que tenho muito problemas em guardar os nomes dos personagens, era um pouco difícil me situar, mas no fim do primeiro livro tem um resumo das casas principais e de seus componentes, o que ajuda um bocado. E também existe um infográfico que encontrei através do podcast do Jovem Nerd  (olha o jabá :P ) que me ajudou bastante a compreender a estrutura das famílias.  

Mas cuidado porque ele também possui Spoilers !!



A saga se passa em um mundo fictício, e é basicamente concentrada em um continente chamado Westeros. No primeiro livro “Game of Thrones”, temos a apresentação desse mundo, que possui um sistema meio louco de mudanças climáticas, que é um ponto importantíssimo da história. Este mundo possui verões de anos e conseqüentemente também os invernos de anos. Chega a ser estranho porque a duração das estações é variável (o que não faz o mínimo sentido, mas...) e no tempo atual da história estamos situados no fim do verão mais longo visto nos 3000 anos anteriores. Após dez anos de verão, o inverno está chegando. E esse é o lema (O inverno está chegando) da casa principal da história; os “Stark”. A trama se desenrola tendo como eixo principal essa casa, e vai-se apresentando as outras casas e seus respectivos dramas aos poucos. É basicamente sobre uma disputa de tronos, entre  sete  famílias que já tiveram seus reinos separados numa época anterior.  Mostra muito desses jogos políticos e dos interesses particulares de cada casa, ou de cada pessoa.  É uma armação atrás de outra, mentiras, politicagens e muiiiiita traição. Ninguém é o que parece ser, ninguém é confiável e, principalmente, todos são descartáveis. R. R. Martin não tem a mínima pena de eliminar personagens, ou seja, não se apegue a ninguém!!


Numa segunda linha de desenvolvimento da trama, temos uma parte do aspecto fantástico da história. Existe ao Norte uma muralha que protege o reino do que existe mais ao Norte (sei que é redundante, rsrs, mas é isso mesmo). Existe lá um povo selvagem e também Os Outros (que não tem nada a ver com Lost). Os selvagens sempre foram uma ameaça constante, mas não passam de pessoas que não vivem sobre o júdice do Rei, e agora com o grande inverno anunciado, Os Outros estão renascendo, e a ameaça começa a ser mais real. É interessante ver que, por a maioria dos protagonistas serem muito jovens,  quase ninguém tem o devido respeito , ou temor, ao inverno.  São quase todos crianças de verão,e ainda não passaram pelas auguras da vida no inverno.

E, por fim, numa terceira linha, também continuando o aspecto fantástico, há a linhagem dos Dragões, dos antigos reis por direito, que foram destruídos e cujo dois últimos membros fugiram para as ilhas do Leste ainda crianças. Estes também estão tentando voltar e reconquistar o que lhes foi usurpado. Essa, no meu ponto de vista, é uma das partes mais legais da história. Adoro a maneira como Daenerys  Targaryen reage ao seu destino, e principalmente como R. R. Martin muda toda a estrutura da história através desse viés que é bem menor e que apresenta implicações enormes no livro.

Outra coisa bem legal do livro, é como R.R. Martin constrói a narrativa do livro através dos olhos de cada protagonista. Os capítulos são contados, em terceira pessoa, seguindo o ponto de vista de cada um, e levam como título o nome desse personagem. Acaba por não ser uma história muito linear e sim segue a importância dos fatos dentro de cada casa. 

Já sobre a série da HBO, obviamente também a recomendo, mas deixe para vê-la depois da leitura do primeiro livro. Como disse antes boa parte da magia da história está em nossas mentes e na nossa capacidade de imaginar. A primeira temporada, que possui 10 capítulos, é sobre o conteúdo do primeiro livro somente. A segunda temporada já está prevista e começa a ser produzida agora no início de agosto.  

O principal mérito da série televisiva é que ela trouxe de volta a tona essa saga e propiciou que mais pessoas a conhecessem. Além disso, a produção é de uma qualidade excepcional, com o selo de qualidade já conhecido da HBO. Como em outras produções, como Roma, eles não economizam em cenários, figurinos, etc e isso é uma parte gigantesca da história. Aliás, a maneira com que Martin explica os castelos, cidades, etc, são um encanto a parte na coleção. E acho que a HBO conseguiu mostrar isso muito bem. Tudo é feito com uma riqueza de detalhes impressionante. Aliás, esse é um bom exercício mental, ler o livro, imaginar à sua maneira os cenários e depois ver como foram feitos no seriado.  Eu, que sou arquiteta, fiquei encantada em como eles conseguiram compreender e passar tão bem a ideia do que o autor escreveu no livro.

Eu aconselho também a não fazerem como a Rê, que só viu o primeiro capítulo e se desinteressou. A série dá uma engrenada após o 3º/4º capítulo. Até então, eles tem a difícil tarefa de apresentar todas as casas principais, e por isso fica um pouco complicado de conseguir pegar a linha principal da história. Após isso, já com todos os personagens devidamente apresentados, a história é melhor contada, e flui num ritmo muito bom.

Também vale falar que, além da série da HBO e dos jogos, está prevista para ser lançada em setembro (nos EUA) uma adaptação para quadrinhos da saga. Esta terá roteiro de Daniel Abraham, com ilustrações de Tommy Patterson. Vale esperar e conferir!

Capa da HQ por Alex Ross


Espero que eu tenha plantado em vocês uma sementinha de curiosidade e que, assim como eu, tornem-se fãs viciados dessa série apaixonante.

E agora cabe a vocês lerem o livro (ou assistirem a série, seus preguiçosos)  para saberem o desenrolar da história, claro. Mas, independente da mídia, saibam que estarão abrindo suas mentes para um mundo fantástico e que depois da primeira página, não haverá volta!!

O inverno está chegando...

Ps: Acho que depois desse post minúsculo a Rê nunca mais pedirá ajuda, rsrsrs..

Fabi Cabral

4 comentários:

  1. Conheci a saga pela série tbm e me apaixonei, penso seriamente em comprar os 2 livros na promoção do Submarino. Ah jogamos o Game of Thrones na nossa versão homemade no domingo passado. Todos do grupo são viciados na série

    ResponderExcluir
  2. Eu li o primeiro livro, e realmente é uma leitura muito difícil, as longas descrições com o escritor desenhando cada detalhe é um saco, acaba se tornando repetitivo e pouco empolgante. As cenas de ação, que deveriam ser ágeis e cheias de adrenalinas são reduzidas pelos enfeites descritivos que o autor insiste em repetir. Isso é um porre, um livro de quatrocentas páginas onde duzentas poderiam ser retiradas facilmente, deixando para o leitor criar em sua mente, mas a estória é boa. É preciso muita paciência para ler todo o livro. Ótima resenha!

    ResponderExcluir