28 de abr de 2011

Paixão de Criança

Quando somos crianças, brincar faz parte do nosso dia a dia. Bonecas, cordas, carrinhos, jogos... Mas quando crescemos e nos tornamos “adultos”, esse hábito fica esquecido, ultrapassado e o rotulamos como “infantil”. Alguns jogos sobrevivem, e em algumas eventuais reuniões de amigos eles são resgatados, Master, Perfil, Jogo da Vida, Banco Imobiliário, Detetive, Veja, e variantes do tipo. Jogos que dominávamos quando criança, e cujas fichas já sabemos de cor e salteado. Mas o que importa é a emoção de ter os amigos reunidos à mesa em torno de uma distração em comum, o brincar.

Como toda criança, eu cresci. Mas a semente do “brincar” nunca me abandonou, ficou adormecida, como tantas outras, sob o velho rótulo do infantil. Já na faculdade, tive a felicidade de conhecer um casal inimaginável e incrível com os quais não apenas travei amizade, mas tomei lições importantes. Lucio e Lucia Abbondati me fizeram ver que o mais importante é o sentimento que compartilhamos e não os rótulos que colocamos, embora a vida em sociedade seja feita de rótulos, e com eles, redescobri o prazer de brincar!

Não que o tivesse perdido, mas o mundo novo dos jogos de tabuleiro que eles ajudaram a descortinar foi tal, que não podia mais conter em uma pessoa. Aos poucos, contagiei outros amigos, que falaram com outros amigos, e hoje nos reunimos com certa freqüência (mas não com a qual gostaríamos) para brincar e jogar essa infinidade de títulos que existem pelo mundo todo! Pois já não existiam mais apenas os velhos jogos de infância, mas uma verdadeira indústria de jogos adultos aguardando pra ser experimentada! Essa paixão chegou a tal ponto que apenas as “jogatinas” já não eram mais suficientes, e é por isso que resolvi hoje dividir essa paixão com mais pessoas através do blog.

E foi numa dessas jogatinas que nasceu o “Desbussolados”! Um comentário inocente sobre pessoas “sem noção”, “sem tempo”, “sem direção”, mas que achamos o máximo na mesma hora em que ouvimos e não tive dúvida: somos desbussolados por tabuleiros! Crédito a nossa “sabotadora-mor” Lu Azevedo.

Espero que mais sementes despertem a partir daqui, mais encontros sejam marcados, mais desenvolvedores nacionais surjam e tenham seu talento reconhecido pela nossa indústria agora adormecida.

Sejam bem-vindos, “boardgamegeeks”, ou como os chamarei agora: DESBUSSOLADOS!

2 comentários: